Otimismo no ar após vistoria no estádio de Montes Claros

EM VISTORIA, representantes sugerem que Funorte priorize a funcionalidade do local, mas estabelece conclusão de acabamentos até a terça


A PRÓPRIA FEDERAÇÃO
de Mineira de Futebol (FMF) tratou de por fim aos mitos sobre a possibilidade de veto ao Estádio José Maria Melo para a temporada 2011. Na vistoria ao local, ontem pela manhã (foto abaixo), ao lado da Polícia Militar, dirigentes esportivos, engenheiros e imprensa, os dois representantes da entidade estadual praticamente confirmaram a notícia mais esperada pela cidade e região: o local está adequado às exigências legais e depende de ajustes bem acessíveis ao proprietário Cassimiro de Abreu, ao locatário Funorte e ao município para que seja aprovado e receba os jogos do Campeonato Mineiro.


A ESTREIA ACONTECERÁ no dia 30 de janeiro, contra o Atlético, partida que marca a volta do futebol montes-clarense à elite estadual após 12 anos. O fato de o adversário ser um dos grandes do futebol brasileiro vem aumentando as cobranças sobre as reais condições do estádio, em especial da imprensa da Capital.

NINA ABREU, ASSESSORA de imprensa, e Sílvio Cléber Costa, dos setores de Arrecadação e de Promoções da FMF, passaram por todos os pontos em reforma no local, em consonância com as normas estabelecidas de vistoria em cada praça de jogo relacionada na competição - e com base nas exigências do estatuto do torcedor.

A CRIAÇÃO DA SALA de imprensa e as ampliações das cabines de rádio e dos vestiários e bancos de reservas foram elogiadas, mas há ressalvas para estes e outros pontos até que aconteça a homologação do laudo liberatório, amanhã.

EMERGÊNCIA

EM RESUMO: O Funorte e parceiros foram aconselhados a não priorizar os acabamentos (reboco, azulejos e pinturas) e mostrar urgência em alguns procedimentos para a completa funcionalidade do estádio. Isso permitirá que o José Maria Melo atenda ao prazo final dado pela FMF e tenha sua documentação enviada ao Ministério Público até esta quinta-feira (o órgão é responsável pela palavra final sobre as condições de jogo do estádio).

EM TOM DE ALERTA, a Federação a PM apontaram como medidas emergenciais a retirada de todo o entulho do interior do estádio, instalação completa do novo alambrado ao redor do campo (mais resistente e três metros mais alto) e conclusão de toda rede hidráulica e elétrica dos novos espaços construídos: vestiários e banheiros para o público, sala de imprensa, duas cabines de rádio e bancos de reservas, que terão suas áreas dobradas, mas que ainda não receberam a nova laje.

ACELERAR

“O ESTÁDIO JOSÉ Maria Melo atende às exigências legais, embora não seja a FMF quem dê a palavra final. Com base nos laudos de cada organismo competente, caberá à Federação intermediar a organização dos documentos e encaminhá-los para o Ministério Público para a aprovação final”, disse a assessora Nina Abreu (foto lado lado), reafirmando que o laudo técnico do CREA/MG está aprovado.

INDAGADA PELA VENETA, Nina disse que as condições de acesso do Funorte garantem uma tolerância maior sobre prazos para Montes Claros, desde que o clube assuma todos os compromissos. “Diria que todo o interior de Minas precisa dessa tolerância. Se aqui em Montes Claros o estádio ainda passa por adequações, vale lembrar que há outros locais em Minas que nem mesmo possuem esta estrutura para a imprensa, por exemplo”.

OS REPRESENTANTES da FMF foram acompanhados em todo o momento pela Polícia Militar, engenheiros responsáveis pelo novo sistema de iluminação e pelos diretores do Funorte e do Cassimiro. A equipe da prefeitura, que responde pelas obras de adequação do local, chegou ao final da vistoria. Outro conselho de Sílvio Costa (ao lado) para que tudo seja cumprido até amanhã: aumento do número de operários para que a demanda seja cumprida.

2 comentários

Ronaldo disse...

Oi Cristiano, tudo bem? Aqui é o Ronaldo Belém, professor da Unimontes e seu amigo rocker das antigas.Venho acompanhando essa questão da carência de um estádio em Montes Claros há um bom tempo e com a entrada do Funorte na primeira divisão passei a ter uma preocupação maior com o assunto. No momento estou escrevendo um artigo sobre a relação entre dinamismo econômico, indicadores sociais, estádios e clubes de futebol do interior nas séries C e D do Campeonato brasileiro. Quero inserir Montes Claros nesta discussão dentro de uma perspectiva crítica que possa chamar a atenção do poder público municipal para a vergonhosa situação de Montes Claros no tocante à questão dos estádios. Neste sentido, estou precisando de um histórico que aborde toda a situação política e econômica envolvendo a questão do Mocão.Você tem alguma coisa sobre esse assunto?
No mais, parabéns pelo Blog e tudo de bom para você. Abraços. Ronaldo

Anônimo disse...

Não adianta construir um estadio com capacidade 10 a 15 mil torcedores para Montes Claros, o que tem que ser feito e melhorar os estadio que já tem, como Cassimiro e Ateneu. Após o time do Funorte estabilizar na primeira divisão, ai, sim, realizar um investimento em um Estadio com uma capacidade maior.Se o time não fizer uma boa temporada e voltar para a segunda divisão, vamos ter um elefante branco em Montes Claros. Devemos levar em consideração que o Funorte subiu para primeira divisão não por meritos proprio e sim por uma manobra judicial. O Funorte tem que provar muito futebol, até então o Cassimiro e Ateneu está de bom tamanho.