Titular no último amistoso, zagueiro montes-clarense é convocado mais uma vez para a Seleção Sub-15

KAUÃ ATUALMENTE defende o Bahia e aparece de novo na lista de Paulo Victor para treinamento especial e testes diante do Chile

Kauã com a bola no amistoso vencido pela Seleção Sub-15 contra o Atlético, em agosto (Fernando Torres/CBF)
AFIRMAÇÃO. PELA segunda vez consecutiva, o zagueiro montes-clarense Kauã Davi Fernandes Braga, de 14 anos, está numa convocação da Seleção Brasileira Sub-15 para um período de treinamentos na Granja Comary. A lista com 25 nomes foi anunciada pelo técnico Paulo Victor Gomes no último fim de semana.

O JOVEM defensor, revelado pelo Cassimiro de Abreu na II Copa José Maria Melo (2016) e que há dois anos integra as categorias de base do Bahia, fará parte do grupo que se apresenta neste domingo (23/9) para uma semana de trabalho especial, que será fechada com dois amistosos contra o Sub-20 do Chile, também em Teresópolis/RJ.

DE ACORDO com a CBF, este é o terceiro ciclo da preparação que o Brasil faz com a equipe Sub-15 com vistas à montagem do grupo definitivo para o Sul-Americano da categoria, que será disputado na Bolívia, em 2019. Para esta lista mais recente, a comissão técnica selecionou os jogadores após observações em 11 competições diferentes.

TITULAR

Zagueiro em ação pelo Bahia; coordenador tricolor faz elogios
KAUÃ É o único representante de clubes do Nordeste na lista. Ele foi convocado pela primeira vez no dia 9 de agosto também para um período de testes e amistoso contra o Atlético. Ele foi titular na vitória por 2 a 1 formando dupla de zaga com o xará Kauã Lucas, do Vasco da Gama.

COORDENADOR DE base do Bahia, Marcelo Vilhena resume o montes-clarense como “um zagueiro de boa estatura, que se destaca pela rapidez, além da qualidade técnica (...). O mais importante é que ele, além da parte técnica, ele é um exemplo também fora de campo (...), um atleta envolvido, envolvido com a escola, com bom extracampo; relação interpessoal muito boa”.

PRIMEIRO TREINADOR de Kauã no Cassimiro de Abreu, Marlon Araújo confirmou à VENETA que o atleta realmente é muito aplicado e buscou a evolução técnica e tática, com disposição para fazer mais de uma função em campo – além de zagueiro atua como lateral-direito. “Além dos treinos coletivos, ele fez uma série de trabalhos individuais para o aprimoramento, mesmo sem a certeza de que chegaria a um clube tradicional como é o Bahia”.

A IDA para o Tricolor foi um processo gradativo segundo Marlon, que até brinca ao dizer que o garoto mal sabia bater o lateral. “Ele foi observado pelo Bahia, seguiu para testes em Salvador, voltou a Montes Claros, continuou trabalhando por aqui, com humildade e dedicação, e só seis meses depois seguiu de novo para lá, para mais testes e a permanência definitiva. A sua ida para a Seleção Brasileira e agora consolidada com uma segunda convocação não me surpreende pelo atleta que sempre mostrou ser”.

Nenhum comentário