Ex-goleiro Everaldo busca suporte no Atlético para ganhar impulso na carreira de técnico

APÓS 23 anos de carreira nos gramados, o agora pastor e educador físico quer aproveitar bons contatos no futebol para revelar jogadores e seguir carreira de treinador


Estágio no Atlético permitiu a troca de experiência com o ex-atacante Reinaldo, agora entre os observadores da base do Atlético
NA HISTÓRIA do Funorte, não há ninguém que tenha vestido mais vezes a camisa do clube. Como goleiro – e na maioria das vezes como capitão –, Everaldo Cardoso entrou em campo 97 vezes com o uniforme tricolor. Foi um dos símbolos no título da Segunda Divisão em 2008 e na campanha que culminou com o acesso para a 1ª Divisão do Campeonato Mineiro em 2010. Antes, desde o início de carreira no Ateneu e Venda Nova, rodou por diversos clubes, com conquistas especialmente no Nordeste.

HÁ QUASE seis anos ele pendurou as luvas, mas jamais se afastou do futebol, até porque tem em casa um filho atacante, Gabriel, de 22 anos, que é advogado, mas deu um tempo na profissão para jogar nas divisões de acesso da Alemanha.

COMO O esporte continuou a fazer parte do dia a dia, o jeito foi associar a prática de 23 anos de carreira profissional com a teoria da sala de aula. Conciliou o curso de Teologia da Igreja do Evangelho Quadrangular para se tornar pastor com a faculdade de Educação Física. Um incremento ao projeto de se tornar técnico profissional.

CONTATO

ATÉ ANTES mesmo do diploma, por ser ex-atleta, conseguiu a autorização da CBF para exercer a função de treinador e assim a fez, na base e no profissional do Funorte. Agora, como educador físico graduado, em sintonia com a nova lei para o exercício da profissão de técnico, ampliou a rede de contatos e, nesta semana, Everaldo finaliza um período de estágio na Cidade do Galo, casa de todas as categorias do Atlético.

“COMO O grupo profissional estava em viagem para os jogos do Brasileiro e da Copa do Brasil, pude acompanhar diretamente os trabalhos de todas as demais categorias, do Sub-12 ao Sub-20. O conhecimento adquirido é de grande valia”, disse Everaldo (45 anos), direto de Vespasiano, em conversa com a VENETA.


Edgar e Valdir, ex-jogadores do CAM nos anos 90 e hoje
observadores e coordenadores dos projetos de base
“AS TÉCNICAS de trabalho, assim como a questão tática, tem muitas variações porque você ainda está formando o jovem como cidadão e como atleta, aquela questão de disciplina tática, fundamento, definição da posição correta de acordo com a característica ou mesmo perfil físico, o que é bem mais complexo no futebol”, acrescenta o ex-goleiro.

O BOM relacionamento no meio do futebol ajudou Everaldo em outra frente dentro do Atlético. Oito jogadores de Montes Claros que foram levados para observação na Cidade do Galo foram aprovados nos testes conduzidos para as categorias de base alvinegra. Fica como cartão de visitas para validar o “olho clínico” de Everaldo.

3 comentários

Agnaldo Mota disse...

Parabéns pela primeira conquista e por ser um ótimo profissional e sério.

Agnaldo Mota disse...

Parabéns pela primeira conquista e por ser um ótimo profissional e sério.

Agnaldo Mota disse...

Parabéns pela primeira conquista e por ser um ótimo profissional e sério.