MC Vôlei vence a 1ª, mas jogadores querem rendimento ainda melhor

EM UM 3-0 com parciais altas, Montes Claros garante mais três pontos na briga pelo segundo lugar do Mineiro; reencontro será nesta sexta-feira


Central Tarcísio foi um dos pontos fortes no bloqueio e foi eleito o melhor do jogo em votação popular (Fotos: Alex Sezko)
A PRIMEIRA vitória veio, mas a cobrança interna entre os jogadores por um rendimento ainda melhor para a sequência da primeira fase foi o que marcou o final do jogo entre Montes Claros e Juiz de Fora, na noite dessa quarta-feira, pela terceira rodada do Campeonato Mineiro. Os norte-mineiros venceram por três sets a zero, parciais de 25-21, 25-23 e 28-26. O central Tarcísio Guinther foi eleito em votação popular no site da Federação Mineira de Vôlei como o melhor atleta em quadra. Cerca de 1,2 mil pessoas acompanharam o duelo no Poliesportivo Tancredo Neves.


Zanotti se sentiu bem marcado na sequência dos demais sets
“FOI UM jogo duro e cheio de erros e acho que até sentimos um cansaço acima do normal por causa do ritmo de trabalho. Claro que a vitória é muito importante porque serve de motivação para a sequência do Campeonato, mas ainda temos que melhorar em vários pontos na parte tática”, analisou o ponteiro Lisandro Zanotti. O argentino foi a “bola de segurança” no primeiro set, mas na sequência do jogo foi muito bem marcado pelos juiz-foranos.

O LEVANTADOR e capitão Sandro valorizou a primeira vitória, “depois de duas partidas bem difíceis contra o Sada”, mas reconheceu que o time foi abaixo do que rendeu contra o Cruzeiro, especialmente no segundo jogo, decidido no tie-break há quase duas semanas. “É natural oscilar no começo de temporada, período que a gente mais treina não só em quadra, mas também na parte física. No jogo específico de hoje [ontem] há também o mérito do adversário, que estudou as nossas estratégias e conseguiu marcar bem alguns de nossos pontos fortes, o que nos obrigou a buscar novas adaptações no decorrer do jogo”.

OS DOIS times voltam a se enfrentar nesta sexta-feira, às 20h, outra vez no Poliesportivo Tancredo Neves. Com o trunfo, o MC Vôlei se mantém na segunda colocação, agora com 4 pontos. Com dois jogos a mais, o Sada/Cruzeiro lidera com 14 pontos e não pode ser mais alcançado pelo Montes Claros. O JF Vôlei ainda não pontuou e acumula três derrotas.

OS SETS


Sandro defendeu com o pé; sequência terminou em ponto pro MOC
NO SET inicial, Montes Claros e Juiz de Fora mostraram equilíbrio até o 11º ponto, com a diferença no placar variando entre um e dois pontos, mas sempre com os donos da casa à frente. Bem marcado, Lorena teve dificuldades com o bloqueio e Sandro passou a usar mais os ponteiros. Luan e Zanotti assumiram a bola de segurança. A vantagem chegou a quatro pontos, mas dois erros de recepção recolocaram o JF no set; Chico dos Santos pediu tempo e a rede alta do MOC entrou em ação: Guinther, Mesa e até Lorena "emparedaram" o ataque visitante. Um erro de saque do venezuelano Rodriguez fechou o set a favor do MC Vôlei, mas o lance no set foi uma defesa de Sandro com o pé.

O TIME deu a impressão de que repetiria o desempenho no set seguinte, o que foi mantido até a metade (13-9), mas os visitantes reagiram com uma boa série no saque e quebrando o passe do MOC, que desperdiçou ataques e contra-ataques. Chico dos Santos pediu tempo, mas pouco adiantou. O JF chegou a ficar à frente do placar em três oportunidades (15-16, 18-20 e 19-21); soube “queimar” o bloqueio montes-clarense. Curiosamente, a reação do MC Vôlei foi na rede, com Mesa e Guinther em dois bloqueios e numa falha de ataque dos juiz-foranos (pisada na linha). Jogo empatado (22-22), valeu a experiência de grupo. Lorena, num ace, tratou de garantir a vitória no set.

DESDE OS primeiros pontos do 3º set, os times fizeram rodízio à frente do placar, na maioria dos pontos forçando o erro do adversário na recepção. O MOC foi deslanchar no 15º ponto (15-12), mas perdeu o ritmo logo em seguida; JF empatou e Chico pediu tempo para quebrar a série do rival. O rodízio à frente do placar voltou a acontecer. Com 24-23, uma reclamação do líbero Alan mesmo com o ponto a favor, custou um cartão vermelho e o empate (24-24). Os times foram confirmando os ataques até JF mandar em cima do bloqueio, que amorteceu a bola para a defesa. No contra-ataque, Lorena fechou o set e o jogo: 28-26.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: