Osmany Camejo é o cubano na mira do MOC Vôlei

CLUBE TRABALHA na contratação de jogador caribenho como principal nome para o meio-de-rede na temporada 2017/2018

Osmany Camejo em ação pela seleção de Cuba na última liga mundial que disputou, em 2012 (foto: Getty Images)
NO INÍCIO da semana, os centrais Tarcísio Guinter (ex-JF Vôlei, Obras/Argentina e Bento/RS) e Mudo (ex-Maringá) já foram anunciados pelo Montes Claros Vôlei como reforços para a temporada 2017/2018. Mas o clube já adiantou que quer pelo menos mais dois nomes para a posição e um dos focos está no exterior, especialmente na escola cubana, considerada uma das mais eficientes de todo o mundo na formação para o meio-de-rede.

A VENETA apurou que o nome em questão é de Osmany Camejo, jogador de 34 anos e de 2,02 metros, que já disputou seis edições da Liga Mundial pela seleção de seu país, conquistando o bronze em 2005 e 2012, além de outras competições como o Campeonato Mundial (prata em 2010), Pan-Americano e a Liga da América do Norte e Caribe.

NA REDE de Cuba, ele jogou ao lado de ninguém menos que Simon, atualmente no Sada/Cruzeiro, considerado o melhor do mundo na posição. Leal, outro atleta cruzeirense, também foi seu contemporâneo no selecionado caribenho.

Leia também

MOC Vôlei muda tudo e anuncia pacote de contratações

ASSIM COMO os compatriotas que optaram em jogar fora do país, Camejo teve que ficar dois anos sem atuar para depois se transferir para o vôlei da Polônia e depois do Oriente Médio. Como há esta particularidade para os atletas cubanos, condição imposta pela Federação de lá, as transferências são definidas pela Federação Internacional de Vôlei (FIVB).

É JUSTAMENTE isto que pode travar a transferência de Osmany Camejo. Segundo o gestor do MC Vôlei, Andrey Souza, o custo para trazer para o país um atleta de Cuba é muito alto. “A taxa é de R$ 75 mil, bem acima do que acontece com jogador de qualquer outra federação”, explanou, durante encontro com a Imprensa, na última segunda.

NO SITE da Agência DM7 Sports, que gerencia a carreira de Osmany, a ficha do atleta não o vincula a nenhum clube e destaca que, para esta temporada, o cubano está em “negociação”. Osmany é irmão do ponteiro Oreol Camejo.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: