FEC perde duas vezes para o América, mas Infantil segue com chances

CLUBE FARÁ ainda mais três jogos pela primeira fase e revela que está de olho nas denúncias de atletas supostamente irregulares em concorrentes diretos

Tabela de pontos da categoria Infantil (Sub-15): Funorte empata com o Cruzeiro, mas fica atrás no saldo de gols
SALDO NEGATIVO da rodada dupla que o Funorte fez na Grande Belo Horizonte. Os times Sub-15 e Sub-17 enfrentaram o América, sábado à tarde, no CT de Santa Luzia, pela oitava rodada do Campeonato Mineiro Infantil e Juvenil. O Coelho levou a melhor em ambas; e pelo mesmo placar: 3 a 1.

MESMO COM mais este revés, o time Infantil ainda vai bem na tabela de classificação. Está em terceiro lugar da Chave C, com 10 pontos, empatado com o Cruzeiro – mas fica atrás pelo saldo de gols. O líder é o AMDH, com 12. Os dois melhores vão para o Hexagonal Final.

RESTAM AINDA mais três partidas: Social, em São João Del Rei; Dínamo (Araxá), em Bocaiuva; e Frigoarnaldo, em Contagem. O curioso neste ano é que o regulamento não prevê jogos dentro das chaves. Os times jogam contra os integrantes de outros grupos. Por isso, sem confronto direto, como está atrás de ADH e Cruzeiro, o Funorte não depende somente das próprias pernas.

JÁ A equipe Juvenil segue com três pontos, na quarta colocação. Terá os mesmos adversários, mas a missão é bem mais complicada. Precisaria de 100% de aproveitamento e torcer para que o vice-líder AMDH (10 pontos) não pontue mais.

DENÚNCIAS

EMBORA NÃO seja algo já consumado, o Funorte também espera por notícias de bastidores. Em menos de dois meses de competição, o Tribunal de Justiça da FMF já julgou a apenou cinco clubes pela escalação irregular de jogadores. Em todos os casos, eles perderam pontos. E as denúncias continuam. Segundo o técnico do FEC, Júnior Borges, sem citar nomes, há denúncias desta natureza contra adversários diretos do clube e, por isso, “será preciso ficar atento com o que acontece também fora de campo”.

A FALHA maior estaria na escalação de atletas utilizando apenas o registro na FMF. Ainda segundo Júnior, é preciso que o atleta tenha registro tanto na Federação Mineira como na CBF. “Só assim é que pode ser escalado”.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: