Alunos de jornalismo produzem documentário sobre o Ateneu

TRIO ENCONTROU no trabalho voluntário uma forma de eternizar a história do Broca, que completou sete décadas de existência em 2017 e ainda renasce

Atlleta em pé numa das formações do Ateneu em 1969, no Estádio João Rebello: Tone Câmara, Sabará, Moisés,
Helton Veloso, Duba e Borracha; agachados: Dadá, João Batista, Jomar Macedo, Chiquito e Durval
UM PROJETO nascido no curso de Comunicação Social da Funorte vai resgatar parte da história de um dos clubes mais tradicionais da cidade e do interior mineiro. No dia 17 de junho, os alunos Adeli Mendes e Jossimar Vieira e o jornalista Pedro Rodrigues apresentarão “Ateneu: 70 Anos de História”, uma produção no formato de documentário que traz vários detalhes sobre o Broca.

FORAM HORAS de gravação, mas com a edição, o trabalho tem aproximadamente 20 minutos e resgata imagens em fotos e vídeos de vários momentos do clube, além de inúmeros depoimentos de quem vivenciou a história atenense, desde os tempos de Padre Osmar Futebol Clube, nome de batismo do clube, que nasceu no pátio do extinto Colégio Diocesano de Montes Claros, até conquistas indeléveis como o Campeonato Mineiro da Segunda Divisão em 1996 e 1999.

“É UMA forma que encontramos de homenagear um dos patrimônios que o esporte de Montes Claros tem, mas que caiu no esquecimento por muitos anos. Nossa contribuição para o resgate da Associação Desportiva Ateneu. Esperamos que este trabalho valorize ainda mais o que o Ateneu realmente representa para o nosso futebol”, explica Adeli Mendes, que há vários anos já milita na imprensa esportiva de Montes Claros; trabalha como radialista, narrador e produtor da Rádio Terra AM, com passagens pela InterTV Grande Minas.

O CURIOSO é que o trabalho é totalmente voluntário por parte do trio, já que não faz parte de nenhuma disciplina do curso e muito menos será avaliado.

A IDEIA é lançar o documentário “Ateneu: 70 Anos de História” no próximo dia 17. O horário ainda será definido, mas o local já está praticamente certo: o Bar Tip Top, no Bairro São José, considerado um verdadeiro museu do futebol pelas relíquias em fotos em exposição permanente nas paredes.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: