Cônsul e parceiros: Ateneu quer agilizar a projeção da base

AINDA NO reinício, Broca foca no bom relacionamento para melhorar a formação de técnicos e auxiliares e viabilizar testes para os destaques da base 


Ateneu está retomando o trabalho das escolinhas de futebol no Estádio João Rebello (foto: divulgação)
CÔNSUL É um termo relacionado à burocracia entre países, mas foi absorvido pelo mundo futebol. Ao invés do diplomata, entram em cena os representantes que os clubes escolhem para atuar em outra cidade, especialmente quando se trata de assuntos estratégicos. De volta à cena após 15 anos, o Ateneu está apostando nesta representatividade fora de Montes Claros para retomar a projeção que um dia teve. O foco, neste reinício de trabalho, está em Belo Horizonte, com objetivo de dar projeção aos atletas que estão nos projetos de escolinha e nos times atenenses de base.

NO ÚLTIMO mês, a direção do Broca oficializou os contatos com o Cruzeiro e com o América. Quer apoio dos dois clubes não apenas na formação dos atletas, mas também na orientação do trabalho dos técnicos e auxiliares das categorias de base, inclusive com o acompanhamento, em Montes Claros, dos treinamentos e na realização de clínicas.

NO CRUZEIRO, os contatos foram mantidos com Márcio Rodrigues, vice-presidente do clube, que firmou compromisso para que um observador técnico da Raposa venha a Montes Claros nas próximas semanas. Sobre a figura do cônsul, o representante atenense com vínculo histórico ao Cruzeiro será o ex-lateral esquerdo Nonato.

MAIS AMPLO


Nonato já se pronunciou como cônsul do Ateneu
EM VÍDEO, o ídolo celeste se pronunciou e até estendeu a possibilidade de ajuda ao Broca. “Estarei acompanhando todas as coisas do Ateneu, especialmente neste primeiro projeto que prioriza as categorias de base. Quando for possível, estarei acompanhando os trabalhos em Montes Claros e indicando nomes para os times daqui de Belo Horizonte ou mesmo de outros estados”, resumiu Nonato.

EVANDRO GUIMARÃES, diretor de categoria de base do América, também foi receptivo ao Ateneu e, segundo o presidente do Broca, Cássio Aquino, enfatizou a abertura do Coelho para receber no CT americano os jogadores da base do Broca que se despontarem nas escolinhas. “O América quer ajudar o Ateneu que, dentro da sua realidade, pode retribuir como um núcleo americano para o Norte de Minas”, disse Cássio.

SOBRE NONATO, o dirigente do Broca fez questão de ressaltar o quanto Nonato é bem relacionado no mundo do futebol. “É um ídolo, com acesso livre a vários clubes do Brasil. Ele poderá falar pelo Ateneu para analisar a viabilidade de parcerias, amistosos, jogos-treinos, participação em torneios e a indicação de atletas para clubes mais tradicionais”, completou.

BAHIA


Dico Maradona, observador Bahia
POR ENQUANTO, está descartada a exclusividade de parceria do Ateneu para este ou aquele clube, até porque está em estudo mais um intercâmbio. O observador oficial do Esporte Clube Bahia, Raimundo Eduardo Oliveira, o Dico Maradona, visitou o Estádio João Rebello. Em breve, o tricolor baiano deverá vir à cidade com uma equipe maior para a realização de uma clínica para técnicos. 

OUTRO QUE se dispôs a ajudar é Rodrigo Guedes de Melo, empresário de futebol e irmão do atacante Fred, do Atlético. A ideia é justamente a mesma: ter acesso a clubes de Minas e de outros estados para dar visibilidade ao trabalho de base do Broca. Rodrigo veio a Montes Claros há 20 dias.

Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: