Montes Claros Vôlei está entre os líderes de quatro estatísticas da Superliga

Montes Claros tem a 2ª melhor defesa e o lídero Gian é o 6º mais eficiente neste fundamento na SL (fotos: Alex Sezko)
MESMO COM quatro derrotas em seis jogos pelo returno, time mostra compensações e se destaca na defesa, recepção, saque e levantamento

APESAR DAS quatro derrotas nos seis jogos realizados em 2017 pela Superliga Nacional, que provocaram a queda do time da 3ª para a 5ª colocação, o Montes Claros Vôlei aparece bem neste começo de ano de outra forma. O time está entre os três melhores da competição em quatro dos seis fundamentos que fazem parte da estatística geral por equipes da CBV. É o segundo mais eficiente da Superliga no saque, recepção e defesa, além de ser o terceiro melhor em levantamento.

A EFICIÊNCIA do MOC Vôlei no saque é de 5,75%, atrás apenas do líder Sada/Cruzeiro (8,03%). Foram 82 aces. Na estatística individual, o levantador Murilo Radke aparece como o melhor sacador do grupo montes-clarense, com 7,51% de sucessos (ponto ou ação contínua pós-saque) – 10º na classificação por atletas.

NA RECEPÇÃO, a diferença é mínima entre os dois melhores times neste fundamento. A equipe de Montes Claros apresenta 40,76% de eficiência, contra 41,28% do Sesi/SP. Se a disputa for somente entre os atletas, destaque para o ponteiro Bob, também capitão do MOC. Com 44,94%, ele está rigorosamente empatado com líbero Felipe, do Copel Maringá, como os melhores da Superliga até aqui.

A DEFESA do Montes Claros é a segunda mais eficiente até aqui, com 18,66% de aproveitamento, de acordo com as estatísticas da CBV. O Sesi/SP é o único à frente do time de Marcelinho Ramos, com 23,39% de eficiência. Na briga individual, o líbero Gianzinho é o destaque local, com 21,77% de eficiência – o 6º melhor da competição, à frente de ninguém menos que Serginho (Sesi) e Lucas Lóh (Campinas).

NO LEVANTAMENTO, o MOC está no “Top 3”, com 31,11% de sucessos, menos de 3% em relação à melhor equipe neste fundamento. O time fica atrás somente do Sesi (33,92%) e do Sada/Cruzeiro (33,48%). Os três clubes também aparecem na lista dos três melhores na estatística individual, pela ordem: William Arjona, o “Mago”, o levantador de melhor rendimento até aqui, com 41,07%, seguido por Bruninho Rezende, com 36,69%, e Murilo Radke como representante do Montes Claros: 31,88%.

A DERROTA MAIS RECENTE

ATÉ ENTÃO,
era uma vitória para cada lado na temporada. O Montes Claros Vôlei venceu pelo turno da Superliga no interior de São Paulo (3x1) e o Funvic/Taubaté foi melhor no jogo único pela Copa Banco do Brasil (3x1), no Norte de Minas. No tira-teima do último sábado, pelo returno da Superliga, o MOC até que resistiu em vários momentos ao favoritismo do rival, correspondeu ao alto rendimento dos selecionáveis paulistas, mas o poder de ataque do time paulista com Wallace e Otávio e ainda o trabalho na rede com os bloqueios de Éder falaram mais alto. Com estafa muscular, o central Robinho não jogou pela equipe mineira.

O Montes Claros fez um jogo equilibrado, mas o bloqueio do time paulista foi diferenciado, com 10 pontos a mais
O TAUBATÉ fez 3 sets a 1, parciais de 25/20, 21/25, 25/23 e 25/21, diante de 2,6 mil pessoas, no Ginásio Poliesportivo Tancredo Neves. O lado negativo foi o desentendimento entre o ponteiro Otávio e o central Rafael Martins, do Montes Claros. Por muito pouco, os atletas não foram às vias de fato.

COM O revés, o Montes Claros se mantém “congelado” na quinta colocação geral, com 31 pontos, relativamente tranquilo numa comparação ao time mais próximo (JF Vôlei – 25 pontos).

OS DOIS times se equilibraram em praticamente todos os fundamentos, com exceção do bloqueio. O Taubaté marcou 16 pontos na rede e o Montes Claros apenas seis. Éder, com seis “blocks” e Wallace com 3 foram os melhores na rede. O oposto paulista e da seleção foi o maior pontuador (22 acertos), mas foi Otávio quem recebeu o troféu Viva Vôlei como o melhor em quadra.

“A GENTE não aceita a derrota, mas tem que entendê-la e procurar fazer algo melhor na próxima partida. No terceiro set, saímos de uma diferença grande e conseguimos buscar. Esta tem sido uma característica da equipe, com um sistema defensivo forte”, disse o técnico Marcelinho Ramos, em entrevista ao Momento Esportivo, do VinTV. “O jogo foi muito competitivo taticamente”, resumiu o treinador vencedor, Cézar Douglas.

NO FIM de semana, o Montes Claros visita o Vôlei Brasil Kirin/Campinas, pela 7ª rodada. Será o último jogo antes de encarar como anfitrião o Campeonato Sul-americano Masculino de Clubes, terça-feira, dia 21 de fevereiro, às 20h15, contra o Clube Atlético Bohemios, do Uruguai (Chave A).
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: