Bolívar usa estreia para se adaptar à quadra e vence peruanos sem sustos

UNILEVER SE empolgou no início de cada set, mas não teve maior resistência para vencer o líder da Liga Argentina; Piá descarta favoritismo
ESTREANTES NUMA competição sul-americana, o time peruano do Deportivo Unilever até que se empolgou no início de cada set, empatando o placar até o sétimo ponto, mas os argentinos do Personal Bolívar trataram logo de impor o favoritismo e venceram fácil o jogo que abriu o Campeonato Sul-Americano Masculino de Clubes, na tarde desta terça-feira, no Poliesportivo Tancredo Neves. As parciais foram de 25-16, 25-20 e 25-11. JAVIER WEBER, técnico do Bolívar e atual líder da Liga Argentina, deu uma nota 8 para a estreia do seu time. “Cometemos alguns erros mais pela necessidade de adaptação ao ginásio e à bola, daí a vantagem de você estrear contra uma equipe inferior, mas que mostrou personalidade em alguns momentos. O que tinha que ser feito, a gente fez”. Weber reconhece certa ajuda da tabela, já que amanhã vai enfrentar o San Martín, da Bolívia, outro time mais fraco. EMBORA HAJA ginásios como o Tancredo Neves na Argentina, o treinador reforça que o seu time precisou de adaptação. “Em geral, jogamos em ginásios menores, com capacidade para 2,5 mil pessoas, com áreas laterais em dimensões menores para o escape na recuperação das bolas. Mas isso não será problema: para jogadores de alto nível basta um ou dois sets para esta adaptação”. COM ESTREITA ligação com a torcida do Montes Claros, já que fez parte do time vice-campeão brasileiro que representou a cidade na Superliga 2009-2010, o ponteiro Piá gostou do jogo para destravar, especialmente na adaptação com a bola. “A gente usa uma bola mais pesada na Liga Argentina. Eu até prefiro essa que estamos usando no Sul-americano”.
MESMO QUE o seu time seja líder da Liga Argentina, Piá não vê favoritismo para o Bolívar dentro da chave, especialmente pela presença do arquirrival UPCN. “Não penso assim. A Liga lá está muito equilibrada. Independente de qual seja a competição, o que temos que fazer é honrar as cores do Bolívar, que é uma marca de muito peso na Argentina”, finalizou Piá, ao equiparar o duelo UPCN e Bolívar, programado para a última rodada da primeira fase equivalente a um “Atlético x Cruzeiro para os mineiros”.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: