Após derrota em Campinas, Montes Claros encabeça campanha contra erros de arbitragem

TIME GANHA coro da Associação de Clubes, que faz movimento na rede pela adoção do juiz eletrônico; CBV receberá relatório com erros e pedido oficial de veto dos árbitros


Salsa e Luan brigam com Rivaldo na rede, observados pelo árbitro capixaba, alvo maior do protesto (foto: Vôlei Brasil Kirin)

A ASSOCIAÇÃO de Clubes de Vôlei (ACV), que envolve sete dos 12 times que disputam a Superliga Nacional 2016/2017, assumiu oficialmente o protesto do Montes Claros Vôlei contra a arbitragem do jogo desse sábado, em que o time norte-mineiro foi derrotado pelo Vôlei Brasil Kirin, em Campinas, no tie-break, pela 7ª rodada do turno. As parciais foram de 18/25, 25/22, 16/25, 21/25 e 15/9, em duas horas de jogo. O líbero Brendle, do time da casa, recebeu o Viva Vôlei.

O MOC Vôlei foi um páreo duro, assim como já havia equilibrado as forças com o Funvic/Taubaté no fim de semana anterior, dando sinais de que está recuperando a estabilidade técnica que o fez ser uma das melhores equipes do turno. Mas os norte-mineiros foram bem prejudicados em decisões polêmicas, especialmente no terceiro e no quinto sets, onde toques na rede e invasões dos jogadores paulistas foram ignoradas, além da marcação de ataques do Montes Claros dentro da quadra como “bola fora” – isto mais de uma vez.

NUMA ARTE personalizada, Montes Claros Vôlei, Sada Cruzeiro, Maringá, Canoas, Bento Vôlei, Funvic Taubaté e Juiz de Fora lançaram as hastags #VoleibolImparcial, #ArbitragemImparcial e #VideoCheckUrgente, esta última numa alusão à campanha dos times brasileiros para que os jogos transmitidos pela TV, como foi nesse sábado, tenham o “juiz eletrônico”, com o direito de cada time utilizar dois pedidos por set para questionar pelo replay a marcação dos árbitros.


Campanha da ACV abraçada por sete clubes e atletas nas redes sociais
O GESTOR do Montes Claros Vôlei, Andrey Souza, foi quem liderou a mobilização. Logo após o jogo, vias redes sociais, ele se manifestou contra a arbitragem da partida no Ginásio do Taquaral. “O Campinas tem time pra ganhar; não precisa de ajuda externa. Vergonhosa e tendenciosa a arbitragem (...) Hoje (ontem), o time do supervisor da seleção teve essa grande ajuda (...).

A REVOLTA do clube vai mais além, conforme a VENETA apurou. O Montes Claros vai formalizar um protesto na CBV enumerando os erros cometidos pelos árbitros de sábado: Rogério Espicalsky (do Espírito Santo) e Gustavo Costa (de São Paulo). Além disso, oficializará o pedido de veto à escalação de ambos em seus quatro jogos no restante da primeira fase da Superliga Nacional e nos play-offs – que deverá ser feito também pelos demais times da ACV.

OS ENCONTROS entre Montes Claros e Campinas, que até então poderiam ser normais numa fase classificatória, ganharam ar de rivalidade nesta temporada. Na partida do primeiro turno, os erros de arbitragem que beneficiaram o time paulista também aconteceram, mas em menor número. O MOC venceu por 3x1 no Poliesportivo Tancredo Neves. Andrey Souza lembrou, ainda, que no turno o supervisor do time de Campinas [André Heller] foi o comentarista na transmissão pela TV, utilizando a camisa do seu clube. “Campinas é o time amigo”, postou.

NO JOGO de ontem, a incidência de erros foi bem maior, sucessivas, ao ponto de desestabilizar totalmente os jogadores e a comissão técnica na sequência do terceiro set e do tie-break. A revolta foi manifestada até mesmo por quem não tinha nada a ver com a partida. Gustavo Endres, supervisor do Canoas, protestou nas redes sociais: “mais uma bola muito dentro que foi marcada fora no 8º ponto do Campinas; por favor CBV: Vídeo Check”.

WILLIAM ARJONA, levantador do Cruzeiro e campeão olímpico pela Seleção, foi mais além e deixou no ar a coincidência de erros sempre para um time quando o jogo acontece no Taquaral: “Campinas é o lugar onde os times são mais garfinhados (sic) que eu já vi na minha vida! Me desculpe a sinceridade. Vídeo check em Campinas já!”. Por sua vez, nas redes sociais, mesmo em meio aos protestos de torcedores rivais e até a ironia sobre a atuação dos árbitros, o Vôlei Brasil Kirin se ateve a comentar somente sobre o placar final do jogo.

O CURIOSO é que, com a atual classificação, Campinas e Montes Claros seriam adversários já no primeiro play-off. Os paulistas estão em quarto lugar com 40 pontos, enquanto o MOC vem logo atrás, com 32.

Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: