Túlio de volta à Chape: "não tive como negar"

ATACANTE É aprovado nos exames e assina por um ano com o Verdão para a disputa da Libertadores; lado emocional foi determinante, revelou.
Túlio de Melo em reencontro com o zagueiro Neto, nesta sexta-feira, em Chapecó (foto: Sirli Freitas/Chapecoense)

“ELES ME pediram para voltar; não tive como negar”. Foi assim que o atacante montes-clarense Túlio de Melo resumiu, na conversa com a VENETA nesta sexta-feira, o seu retorno para a Chapecoense, clube que defendeu na segunda metade de 2015 e, ainda assim, foi um dos principais goleadores naquela temporada, com sete gols.

“JÁ ESTOU por aqui em Chapecó e fiz os exames; está tudo certo. O contrato é de um ano”, completou o atacante, que se apresentou ao clube nesta sexta-feira para a avaliação médica e os testes físicos. Segundo ele, esta será a primeira vez que trabalhará junto ao técnico Wagner Mancini.

LADO PESSOAL
Contrato será de 1 ano (Daniel Fasolin/UOL)
ALÉM DO lado profissional, como a chance de disputar pela primeira vez uma Copa Libertadores, a decisão teve o lado pessoal/emocional, já que Túlio foi companheiro de 80% do grupo de atletas e dirigentes que perdeu a vida na queda do avião da LaMia, em novembro último, na Colômbia. O atacante tinha o goleiro Danilo como um dos companheiros mais próximos fora de campo, inclusive com a convivência entre as famílias.

NESTA VOLTA à Arena Condá, um reencontro emocionante com o zagueiro Neto na sala de fisioterapia, nesta sexta-feira. O defensor foi um dos seis sobreviventes do acidente na Colômbia, mas não sabe ainda quando estará apto para voltar aos campos. A Chapecoense o escolheu como porta-voz nas boas vindas aos novos contratados.

DEPOIS DE mais uma década atuando em clubes da França, Dinamarca, Inglaterra e Espanha, o atacante, que fará 32 anos no próximo dia 31, esteve no Sport/PE em 2016. O contrato com o clube pernambucano ainda está em vigência e para a cessão à Chapecoense a diretoria de Recife aceitou assumir parte dos salários de Túlio.

AINDA COMO atleta do Sport, Túlio esteve presente no velório coletivo realizado na Arena Condá, cinco dias após o acidente com a avião boliviano.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: