"Tese" do FEC prevê o Atlético como cabeça de chave

FUNORTE ACREDITA que haverá rodízio entre os clubes de BH para jogar o Mineiro de base no Norte de Minas; depois de Coelho e Raposa, seria a vez do CAM

A FEDERAÇÃO Mineira de Futebol nem sequer marcou ainda a data do Conselho Arbitral, que vai definir o regulamento, chaves e tabela para as competições de base em 2017. No entanto, por sua conta e risco, o Funorte EC trabalha com uma “lógica própria” que pode motivar os alvinegros de Montes Claros e do Norte de Minas.
Nos últimos dois anos, a base do FEC é terceirizada; time fez 8 jogos contra Coelho e Raposa; conseguiu 3 empates
O CLUBE acredita que, nas disputas do Campeonato Mineiro Infantil e Juvenil deste ano terá o Atlético como adversário mais tradicional em sua chave da 1ª fase. A “tese” é a do rodízio, mas a explicação vem mais adiante.

COMO CRITÉRIO técnico, a FMF coloca sempre um grande clube de Belo Horizonte como cabeça de chave em cada um dos três grupos da primeira fase das disputas do Sub-15 e do Sub-17 – a divisão é a mesma para as duas categorias.

ALÉM DO equilíbrio técnico, a Federação evita que os clubes de melhor estrutura se enfrentem logo no início da competição. Esta é uma forma de levar às diversas cidades do Interior os times de maior torcida do Estado. Além disso, ajuda os pequenos a conseguir uma renda diferenciada contra Atlético, Cruzeiro ou América.

ARGUMENTO


Júnior defende a "tese": "agora é a vez do Atlético"
SOBRE A “tese” do Funorte quem explica é o coordenador dos projetos de base, Júnior Borges, que analisou os históricos das competições nos últimos dois anos. Em 2015, o time ficou no grupo que teve o América como cabeça de chave; foi o 4º colocado nas duas categorias. E no ano passado, o FEC esteve no grupo do Cruzeiro, com a segunda melhor campanha no Sub-15 e apenas o 5º no Sub-17.

“A TENDÊNCIA é de um rodízio e acredito que seja a vez de o Atlético vir jogar no Norte de Minas nestas categorias”, diz. Ainda segundo Júnior, ter a oportunidade de jogar contra os grandes de BH vai além de resultado que impressione.

“NOS ÚLTIMOS dois anos, justamente por causa dos bons jogos que fizemos contra Cruzeiro e América nas duas categorias, mais de dez jogadores do Funorte foram para testes e avaliações nestes dois clubes, o que já é uma grande visibilidade para o nosso trabalho”, resume. Se somadas as duas categorias, o FEC fez oito jogos contra Coelho e Raposa em 2015 e 2016, com três empates e cinco derrotas, com cinco gols a favor e 11 contra. A derrota “mais elástica” foi para o Sub-17 do América, por 3 a 1.

O ATLÉTICO é o atual campeão Mineiro Juvenil (Sub-17). No Infantil, venceu a Copa do Brasil em 2015, além do Mineiro e da BH Cup. Fotos - De Veneta
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: