Montes Claros vence jogo cascudo sobre o Bento Vôlei

COM VITÓRIA, time abre dez pontos em relação ao 6º colocado; "Viva Vôlei" da vez, capitão Bob faz resumo sobre queda de rendimento

ANTES DE a bola ir ao alto no Poliesportivo Tancredo Neves, em jogo válido pela 3ª rodada da Superliga Nacional, o Montes Claros tinha uma vantagem de dez pontos em relação ao Bento Vôlei/Isabela. Mas o que aconteceu em quadra não refletiu a disparidade entre as campanhas. Foi uma partida bem “travada”, com alternância no placar nos três primeiros sets e parciais altas, mas prevaleceu o fator casa e os valores individuais para o MC Vôlei reabilitar-se.


Jogo "cascudo"; maior pontuador pelo MOC, Jonatas ainda teve dificuldade com o bloqueio do Bento (Foto: Alex Sezko)


DEPOIS DAS
 derrotas para Canoas (2-3) e Minas Tênis (0-3), o time enfim conseguiu vencer a primeira em 2017, com 3 a 1 sobre os gaúchos. Foi a nona vitória na competição, que o manteve em 5º lugar, com 28 pontos, três a menos que o Funvic/Taubaté e dez a mais que o sexto colocado – JF Vôlei.

AS PARCIAIS foram de 25/23, 25/23, 27/29 e 25/21. Ao longo do jogo, o técnico Marcelinho Ramos fez seis pedidos de tempo para “arrumar a casa”. Nos três primeiros sets, sua equipe conseguia abrir entre dois e até seis pontos de vantagem, mas permitia a reação do Bento Vôlei. Somente no 4º set que o MOC não sofreu uma virada temporária no placar.
DESTAQUE AO lado do ponteiro Jonatas (23 pontos), o capitão Bob Dvoranen, terceiro maior pontuador do jogo com 17 acertos, foi eleito o melhor em quadra e recebeu o troféu Viva Vôlei – pela segunda vez na Superliga. O ponteiro foi destaque no saque, com 4 aces e a quebra do passe “A” do adversário e, ainda, na recepção, com 52% de eficiência.

“FALA CAPITÃO”

“A SUPERLIGA
é uma competição muito longa e os times, em sua maioria, são nivelados. Você tem que manter o foco e não dar mole. O jogo contra o Canoas, por exemplo, a gente estava dominando, mas uma variação qualquer comprometeu o rendimento”, analisou Bob, em conversa com a VENETA. O jogo em questão foi vencido pelos gaúchos por 3 a 2.

Esta foi a nona vitória do Montes Claros na Superliga; time abre dez pontos em relação ao 6º colocado
O PONTEIRO reconhece que a queda de rendimento nos três primeiros jogos do ano – duas derrotas pela Superliga e uma pela Copa Banco do Brasil – pode ter influência diante da “parada” na tabela. “Voltamos das festas de fim de ano e só com três dias de treino já fomos para jogo. Acaba influenciando na parte técnica porque ficamos muito tempo sem bola. Mas é importante reconhecer o mérito do adversário. O Minas jogou muito, especialmente o Bisset (0-3)”, finalizou.

CONTRA O Bento, o Montes Claros não contou com o central Salsa, ainda em recuperação pela torção no tornozelo direito, e o oposto Luan Weber, que não treinava há uma semana com um problema muscular na região do ombro. Acompanharam a vitória das arquibancadas, mas devem voltar ao time contra o São Bernardo, neste sábado, às 18 horas, no Poliesportivo. Jogaram Bruno Diannini (6 pontos) e Wanderson (13), respectivamente.

O REPRESENTANTE do ABC é apenas o 10º colocado com dez pontos. Mesmo sendo um adversário mais fraco tecnicamente, seria importante o retorno de Salsa e Luan para recuperar o ritmo de jogo. Daqui a vinte dias, o Montes Claros jogará o Campeonato Sul-americano de Clubes como anfitrião e precisará do elenco completo.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

2 comentários:

Miquéias Fonseca disse...

ótimo jogo, bela vitória!!!

Miquéias Fonseca disse...

ótimo jogo, bela vitória !!!