#ForçaChape: emoção e solidariedade montes-clarense

VÔLEI E Rugby se unem ao futebol e fazem homenagem à Chapecoense; ex-companheiro, Túlio de Melo se diz chocado e dirigentes de Ateneu e Funorte apontam clube como exemplo de sucesso



NÃO PODERIA ser diferente e o esporte em Montes Claros se uniu ao drama nacional e mundial com a tragédia que vitimou jogadores, dirigentes e comissão técnica da Chapecoense, 21 jornalistas e a tripulação da Lamia, empresa do avião que caiu na região de Antióquia, próximo a Medellín, na Colômbia, na madrugada desta terça-feira. O time catarinense seguia viagem para o primeiro jogo da final da Copa Sul-americana contra o Atlético Nacional, nesta quarta-feira, em Medellín.

O MONTES Claros Vôlei já anunciou que, para o jogo pela Superliga Nacional 2016/2017 contra o Brasil Kirin/Campinas, nesta quinta-feira, no Ginásio Poliesportivo Tancredo Neves, haverá uma homenagem ao clube catarinense. Os atletas entrarão em quadra com a faixa “Estamos Juntos com Você – #ForçaChape”. Será respeitado um minuto de silêncio. A partida será transmitida pela Rede TV!.



FAMÍLIA CHAPE

MONTES-CLARENSE, o atacante Túlio de Melo está atualmente no Sport Recife. Em 2015, defendeu a Chapecoense entre julho e dezembro, depois de mais uma década atuando em clubes da França, Dinamarca, Inglaterra e Espanha. A VENETA fez contato com o jogador na tarde desta terça e ele se revelou em estado de choque, até porque, nos seis meses que passou em Chapecó, resumiu o clube como uma família. “Estou muito abalado; sem condições de fazer ou falar qualquer coisa neste momento”, disse o atacante, que havia atuado com a maioria dos atletas que faleceram na Colômbia. "Coração machucado, sangrando... Irmãos que se foram e serão acolhidos pelo senhor", publicou na rede social Instagram.


Túlio de Melo e o abraço ao capitão e meia Cléber Santana, uma das vítimas
NO JOGO entre Chapecoense e Libertad/Paraguai, por exemplo, no qual Túlio marcou o gol que garantiu a Chape nas quartas de final da Sul-americana/2015, sete dos jogadores que estavam no voo atuaram ao lado do atacante, como o goleiro Danilo e os meias Gil e Cléber Santana. O artilheiro Bruno Rangel era seu reserva naquela partida. Túlio fez 16 jogos pela Chape e marcou seis gols.

NA RÁDIO Transamérica, o programa Bola na Rede, com Dhiogo Revert e Saulo Souza, foi todo dedicado ao fato, do qual também participei com informações em tempo real sobre o acidente. Mensagens de áudio e de texto dos ouvintes de Montes Claros e de várias cidades foram ao ar, resumindo o sentimento de solidariedade e de comoção que atingiu todos os brasileiros. Reportagens em cadeia com rádios de São Paulo, Rio de Janeiro e de Santa Catarina também foram ao ar.

O PROGRAMA Camisa 12, da TV Geraes (Rede Minas) postou nas redes sociais uma mensagem de solidariedade “ao esporte nacional” com a queda do avião que transportava da equipe catarinense. “Hoje não é dia de comemorar, mas seguimos com o compromisso com a informação, em solidariedade também aos abnegados profissionais de imprensa que também se vitimaram”.

NO CASSIMIRO de Abreu, os trabalhos com os alunos da escolinha de futebol iniciaram com uma oração ecumênica em memória às vítimas do acidente.

O MONTES Claros Rugby fez também a sua homenagem pelas redes sociais. "Força a todos. O Terremoc se solidariza com a família e os envolvidos de todas as vítimas deste triste acontecimento".

NO AEROPORTO


Halley no encontro com Caio Júnior, técnico da Chape em Sampa
O JORNALISTA esportivo Heberth Halley também foi jogador de futebol, com passagens pela base do Cruzeiro e hoje é técnico/professor de futsal do Colégio Padrão. Há dois meses, enquanto seguia viagem para João Pessoa/PB para os Jogos Escolares Brasileiros, encontrou com a delegação da Chapecoense no aeroporto de Garulhos, em São Paulo. “Quem gosta de futebol sempre vai atrás de uma resenha. Fui lá conversar com eles, que foram gentis e atenciosos o tempo todo”, disse, sobre as fotos que tirou ao lado do técnico Caio Júnior e os jogadores Kempes e Bruno Rangel.

PRESIDENTE DO Ateneu, Cássio Aquino revelou que tinha o time de Chapecó como exemplo maior para o processo de soerguimento do Broca. “A Chapecoense é um espelho do bem. Um clube de uma cidade de 210 mil habitantes que se mantém na Série A com maestria e competência, consegue uma projeção nacional e internacional em tão pouco tempo, merece ser copiado e nos serve de exemplo”. E completou: “Lamento profundamente e me solidarizo com os familiares, amigos, torcedores e com toda a população de Chapecó, assim como os brasileiros dos demais países”.

GERENTE DE futebol do Funorte EC, Cláudio Teixeira também fez homenagem ao time do Sul do País. "A Chapecoense é um grande símbolo e exemplo de que vale a pena se dedicar aos nossos sonhos, com fé e esperança. O fato de mexermos com futebol e receber uma notícia dessa nos deixa comovidos. O sentimento é de carinho, conforto, afeto e amizade". 

CHAPECÓ

CHAPECÓ É uma cidade do interior de Santa Catarina com cerca de 200 mil habitantes, um pouco menos que a metade dos moradores de Montes Claros. A Chapecoense, fundada em 1973, alcançou a projeção nacional na década passada. Em menos de sete anos, saiu da Série D do Campeonato Brasileiro para a Primeira Divisão Nacional, com destaque para a classificação para a final inédita de uma competição internacional: a Copa Sul-americana 2016. Jogaria amanhã, em Medellín, contra o Nacional, o primeiro jogo das finais.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: