Disposição para fazer história

PELA CHAPE, montes-clarense Túlio de Melo tem a missão de marcar gols para eliminar o campeão da América

Túlio em lance contra o Grêmio, jogo em que fez dois gols e o seu time venceu
UM DOS jogadores da linha de frente, o montes-clarense Túlio de Melo entra em campo nesta quarta-feira, na Arena Condá, com a missão de reverter a vantagem argentina e ampliar os feitos históricos da Chapecoense em sua primeira competição internacional desde a fundação. Pelas quartas de final da Copa Sul-americana, o time alviverde recebe o River Plate, a partir das 22 horas, em Chapecó. O rival é o atual campeão da Libertadores e da Copa Sul-americana.

OS ARGENTINOS venceram em Buenos Aires, semana passada, por 3 a 1, e têm a vantagem de perder por um gol de diferença que ainda garantem vaga na semifinal. Como fez um gol como visitante, a Chape tem que vencer por dois a zero para seguir na briga pelo título.

AINDA ESTÁ ameaçada pelo rebaixamento no Campeonato Brasileiro, a Chapecoense vai tentar a classificação provavelmente com um time misto. Túlio conversou com a VENETA na tarde de ontem, direto do interior catarinense, e revelou que ainda não sabe se será titular no time que o técnico Guto Ferreira manda a campo logo mais à noite.

“O PESSOAL já adiantou por aqui que o time será mesclado por causa do desgaste da maratona que estamos fazendo em duas competições. Por isso, não sei se começo jogando, mas a vontade é sempre de ajudar”, disse o atacante. “Mas isto não quer dizer que vamos tentar a classificação. O espírito é de partir para cima desde o início e buscar um gol ainda no primeiro tempo”, completou.

NO BRASILEIRO, a seis rodadas do final, a Chapecoense está em 14º lugar com 39 pontos, seis a mais que o primeiro time da zona de rebaixamento. Sobre a escolha de um “mistão”, mesmo num momento histórico, Túlio disse que respeita a decisão do clube. “A gente sabe que manter o time na Primeira Divisão será muito importante financeiramente para o clube”, pontuou o atacante.

FUTURO

APÓS VÁRIOS anos nos europeus Aalborg (Dinamarca), Le Mans e Lille (França) e Valladolid (Espanha), com direito a gols decisivos e títulos do Campeonato Francês e da Copa da França, Túlio chegou à Chapecoense quase na metade do Campeonato Brasileiro e antes da estreia na Copa Sul-americana. Fez uma escolha pessoal, embora tivesse chance no Charlton, da segunda divisão inglesa e em outros clubes brasileiros. Em pouco tempo, tornou-se titular e barrou ninguém menos que Bruno Rangel, artilheiro e ídolo do “Índio Condá”. Até aqui, fez três gols no Brasileirão nas vitórias sobre o Grêmio (3x2) e Palmeiras (5x1) e um na Sul-americana – 1x1 Libertad.

A BOA fase no retorno ao Brasil, onde já havia atuado no início de carreira nas categorias de base do Atlético e no Santa Cruz, já lhe rendeu duas sondagens de outros clubes para continuar no País. “Foram apenas duas sondagens, mas nada oficial. Ainda é cedo para falar porque o foco é manter a Chape na Série A o quanto antes. O lado pessoal eu verei mais à frente”, revelou o atacante.

SOBRE UMA volta ao Atlético, como alguns torcedores já chegaram a sugerir na semana passada, o atacante revela que há chances. “Fui formado pelo Atlético e terei sempre um carinho pelo clube”, finaliza.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: