Montes Claros Vôlei vive a expectativa de ser visita na própria casa

EM DUELO pela liderança isolada do Campeonato Estadual, Minas Tênis será mandante no Poliesportivo do Monte Carmelo

Lance de ataque: o técnico espera mais velocidade nas jogadas pelas pontas
EM UM acordo de cavalheiros, o Minas Tênis Clube aceitou ser mandante na casa do adversário e o time da Capital “recebe” o Montes Claros Vôlei, nesta quinta-feira, às 20h, no Ginásio Poliesportivo Tancredo Neves, no quarto compromisso de ambos pela primeira fase do Campeonato Mineiro/2015. Depois de amanhã, eles voltam a se enfrentar, de novo no Bairro Monte Carmelo, mas com mando de quadra do MOC Vôlei.

OS INGRESSOS custam R$ 5,00 e antes de a bola ir ao ar os times participam da campanha solidária “Setembro Dourado” junto à Fundação Sara de apoio, informação, prevenção e tratamento do câncer infanto-juvenil.

O DUELO vale a liderança isolada. Os dois times chegam até aqui com oito pontos ganhos em três vitórias, mas os montes-clarenses têm a vantagem pelo set average (4,5 x 2,25). A ameaça para ambos é o Sada/Cruzeiro, atual pentacampeão estadual, que tem seis pontos (e uma partida a menos) e jogará amanhã à noite contra a UFJF, em Juiz de Fora.

MUITO TRABALHO

Técnico Marcelinho Ramos
O TÉCNICO Marcelinho Ramos pôde conhecer o atual time do Minas somente por vídeos. Antes do treino de ontem, os jogadores acompanharam VTs de jogos da equipe da Capital. Em resumo, o treinador sabe que vai precisar de mais velocidade nas jogadas para as pontas – o chamado passe “A” –, para que o time trabalhe mais com as bolas abertas. “A gente trabalha para minimizar os erros, ter mais volume de bola e ter qualidade para enfrentar bloqueios”, projeta.

O MINAS vem a Montes Claros com o técnico Nery Júnior, que esteve à frente do MOC na temporada 2013/2014, e conta com nomes conhecidos em seu grupo como o levantador Everaldo, o central Petrus e o oposto Leozão, que também jogaram na cidade, além do cubanos Raidel, que faz sua estreia com a camisa do clube, e Yadrián Escobar, maior pontuador da última edição da Superliga com 433 acertos.

MUDANÇA

DIFERENTE DE outros tempos, até mesmo pela redução de receita sem um patrocinador master, o elenco do Minas não tem medalhões. O clube aposta em atletas menos rodados e que buscam projeção. Para o clube aceitar a mudança do jogo para o Norte de Minas, mesmo sendo mandante, houve uma composição para que o Montes Claros assumisse junto aos seus parceiros as despesas com hospedagem, alimentação e transporte. (Fotos: Alex Sezko)
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: