Montes Claros de volta à liderança do Mineiro

EM JOGO de erros mínimos, MOC Vôlei devolve derrota ao rival Minas Tênis e fica à frente pelo set average

Bloqueio de Bob e Rafael em cima do cubano Escobar; MOC fez 3 a 1
COM PERSONALIDADE, o Montes Claros Vôlei retomou a liderança do Campeonato Mineiro. Por três sets a um, venceu o Minas Tênis no segundo jogo entre os clubes, no início da tarde de sábado, no Poliesportivo Tancredo Neves, parciais de 25/23, 18/25, 27-25 e 25/20. Diferente da quinta-feira, quando 3,2 mil pessoas viram o MTC vencer por este placar, o ginásio recebeu um público razoável pelos padrões do MOC Vôlei; aproximadamente 1,2 mil torcedores.

COM CINCO partidas para cada lado, Montes Claros e Minas empatam com 11 pontos, mas os norte-mineiros levam a vantagem pelo saldo de sets. O MOC venceu 13 sets e perdeu seis, enquanto o MTC ganhou os mesmos 13, mas foi derrotado em oito sets. Com nove pontos e dois jogos a menos, o Sada/Cruzeiro é o terceiro colocado, seguido pela UFJF com três e o Três Corações com apenas dois.

Wagner se revezou com Juninho como oposto
A SEQUÊNCIA agora é de dois jogos fora de casa, amanhã, contra a UFJF, em Juiz de Fora, e dois dias depois, em Sete Lagoas, contra o Sada/Cruzeiro. Diferente da quinta-feira, quando testou todos os atletas disponíveis, o técnico Marcelinho Ramos procurou manter uma base ao longo dos sets, mas a escalação foi diferente: Rodrigo Ribeiro, Salsa, Rafael, Juninho, Renan Purificação e Bob, além do revezamento dos líberos Gianzinho e Kachel.

RELATÓRIO

“O QUE a gente fez foi minimizar os erros, rodar mais a bola. O Índio [levantador titular no sábado] mostrou uma bola curta mais eficiente e a troca constante dos líberos foi pela diferença de estilos na defesa e no passe”, resumiu o treinador. Ele reconheceu que o ponteiro Juninho, que atuou como oposto, foi outro diferencial pela eficiência nos ataques. “É a versatilidade que eu tenho no grupo e que foi absolutamente determinante”.

Por causa de uma pancada, central Salsa mereceu uma atenção especial
O FORTE calor do final da manhã e início da tarde de sábado também foi aliado do Montes Claros. “Sabemos que o calor e o tempo seco comprometem, mas a gente já treinava nestas condições, enquanto o Minas não”, resumiu o preparador físico Rodrigo Silva. Por causa de uma pancada no cotovelo, o central Salsa mereceu uma atenção especial do fisioterapeuta Jomar Almeida. “É aquela sensação de choque, que em alguns momentos deixava a mão dormente, mas conseguimos administrar sem comprometimento no aproveitamento do atleta”, disse. (Fotos: Janjão Santiago)
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: