Handebol infantil é vice-campeão mineiro

TIME MASCULINO repete resultado de 2014 na fase final em Uberaba; são quatro pódios desde 2012

Em quatro anos são quatro pódios, com duas pratas e dois bronzes
O HANDEBOL masculino Sub-14 de Montes Claros confirmou a previsão de pódio e garantiu o vice-campeonato mineiro infantil no último domingo, em Uberaba, na disputa da fase final. O título não veio por pouco. Na campanha geral, o time teve os mesmos pontos da equipe de Varginha, mas por causa do primeiro critério de desempate (confronto direto), os sul-mineiros levaram a melhor. Logo na primeira rodada, Varginha venceu Montes Claros por 16 a 15.

ESTE É o segundo vice-campeonato da equipe infantil masculina de Montes Claros. No ano passado, o time também foi o segundo colocado. Em 2012 e 2013, nas duas primeiras edições do Estadual para esta categoria de base, os montes-clarenses também foram pódio, com a conquista da medalha de bronze em ambos.

O JOVEM Lucas Nagem é o treinador da equipe de Montes Claros e explicou à VENETA que a base do atual grupo do time Sub-14 vem sendo formada desde 2011, quando os garotos entraram nas categorias inferiores. A equipe foi consolidada no ano passado, com a chegada de quase a metade dos atletas que já tinha experiência em competições estudantis.

ALIÁS, O próximo desafio para o handebol infantil será na fase estadual dos Jogos Escolares de Minas Gerais (JEMG). Onze dos 15 atletas que foram a Uberaba – inclusive o técnico – integram o time do Colégio Padrão, de Montes Claros, que vai buscar o bicampeonato mineiro na competição. A disputa acontece na semana que vem, entre os dias 3 e 8, também em Uberaba.

OPORTUNIDADE DE INTERCÂMBIO

NA CONVERSA com a reportagem, o treinador Lucas Nagem fez questão de destacar outra experiência que a equipe teve durante a disputa da fase final do Mineiro. Paralelamente, a cidade do Triângulo Mineiro recebeu duas chaves do Campeonato Mundial Júnior de Handebol. “Foi uma experiência única e muito enriquecedora, pois o nível técnico do mundial é muito alto e pudemos acompanhar belos jogos, além de torcer ao vivo e a cores pela seleção brasileira”, disse.

AINDA SEGUNDO o treinador, assistir aos jogos dos brasileiros e das equipes estrangeiras teve um valor didático, no aprendizado de técnicas e táticas de jogo, mas que ele não teve como aplicá-las junto à sua equipe na disputa do Mineiro Infantil. “Pelo curto espaço de tempo seria complicado levar para o nosso time o que vimos no mundial, mas na execução de algumas técnicas, como de arremessos e fintas, os próprios atletas tomaram a iniciativa de fazer depois que viram as seleções em quadra”, acrescenta. (Foto: divulgação)
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: