Vôlei 2015/16 – Parte III: gestor reconhece que trabalho maior é de bastidor

DIRIGENTE REVELA qual o estágio sobre a possibilidade de permanência da dupla Pedrão e Cristian Poglajen

Custo de vida é um dos argumentos do gestor para convencer atletas
O GESTOR do Montes Claros Vôlei, Andrey George Souza, acredita que a cidade é um cenário atraente para a ampliação do projeto, até porque pela empatia que a modalidade tem com a torcida – recordista de público como mandante na Superliga. Isso, segundo ele, é o argumento para convencer tanto aos patrocinadores para a permanência junto ao clube e, ainda, para buscar mais apoiadores, além de garantir a manutenção dos principais atletas para a temporada 2015/2016.

“O MAIOR legado é ver e ouvir as pessoas falando bem da retomada do time. Tivemos uma série de problemas na temporada anterior com atraso de salários, falta de materiais e abandono de atletas, o que foi totalmente anulado neste ano. Sabemos das dificuldades, mas sabemos que o trabalho foi bem feito e a cidade abraçou o projeto mais uma vez”, disse Andrey.

ELE REVELA que o suporte dado pela Federação Mineira de Vôlei (FMV) foi determinante na estruturação do time, assim como o intercâmbio que pôde manter com as outras equipes e dirigentes ao fazer parte da Associação de Clubes de Vôlei (ACV). “A Federação, na pessoa do Tomaz [Mendes, vice-presidente da FMV] reabriu as portas para o vôlei de Montes Claros, inclusive na busca por parceiros. Atualmente, recebemos convites para torneios ou mesmo a sondagem de atletas e empresários, cenário totalmente diferenciado do que aconteceu na temporada anterior”.

SINALIZADOS

Média de público, segundo
gestor, ajudaria a capitalizar
potenciais patrocinadores
SOBRE OS destaques Pedrão e Cristian, Andrey disse à VENETA que a permanência dos atletas já foi sinalizada pela comissão técnica. “O Pedrão é uma mostra do trabalho bem feito na base pelo Sada/Cruzeiro. Investimento que trouxe retorno dentro da quadra. Tenho interesse que fique e ele já manifestou a mesma coisa. O primeiro ponto é o atleta querer, mas o Cruzeiro já manifestou que vai querê-lo de volta [como o fez] e vamos retomar a conversa do zero sobre a permanência dele”.

SOBRE CRISTIAN, os entendimentos são mantidos com o procurador do atleta. “Ele se adaptou rapidamente à cidade e já se manifestou até publicamente sobre o interesse de permanecer em Montes Claros. Se ele quer ficar, o restante é relativamente fácil de compor pela qualidade de vida que a cidade oferece como mobilidade e custo de vida e, ainda, a visibilidade que a Superliga por si só tem”.

LEIA TAMBÉM
Parte I: o primeiro desafio será o de renovar
Parte II: “Polaco” espera maior visibilidade e ser lembrado para as Olimpíadas
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: