Na estreia em casa, Victória não resiste ao Atlético

PÚBLICO EM Bocaiuva foi superior a mil pessoas; técnico recebe dificuldade na marcação e adaptação ao gramado


Victória do atacante Thiago contra o Atlético de Leonan: deu CAM por 4 a 1
UM PÚBLICO aproximado de mil pessoas acompanhou a estreia com derrota do Victória Clube como mandante no Campeonato Mineiro Júnior (Sub-20), sábado, no Estádio Levi José dos Santos, em, Bocaiuva. O time recebeu o Atlético, conseguiu segurar a igualdade no placar até os 24 minutos da etapa inicial, mas acabou goleado por 4 a 1. A renda foi de R$ 5.640,00.

O FORTE calor, aliado à grama alta, exigiu muito preparo físico dos dois lados, tanto que os técnicos efetuaram as cinco substituições que tinham direito. Os gols do Atlético foram marcados por Yago, aos 24’, Capixaba, aos 28’ e Thalis, aos 40’ do 1º tempo e Yago outra vez, de pênalti, aos 41’ da etapa final. O gol de honra do Victória foi do atacante Thiago, aos 34’ do 1º tempo.

ENQUANTO O técnico Altair Leal, o Kuíca, reconheceu que o Victória ainda em formação, com deficiências no sistema de marcação e no posicionamento em lances de bola parada, Rogério Micale, comandante do Atlético entendeu que no resultado prevaleceu a experiência da base alvinegra, que veio a Bocaiuva com um grupo consolidado e que está junto desde as categorias inferiores há mais de quatro anos.

EMBORA A grama estivesse um pouco alta, o treinador atleticano apontou a qualidade do gramado em Bocaiuva como uma das melhores de todo o interior de Minas. “O campo nos proporcionou um bom toque de bola. Estabelecemos um esquema de jogo que foi aplicado à risca, mesmo diante de um forte calor. Este horário é muito complicado para a prática do futebol. Depois de dois empates, a gente tinha determinado que esse seria um jogo para vencer”.

POR SUA vez, Kuíca lamentou que o time tenha se colocado muito atrás na primeira metade da etapa inicial, o que facilitou a pressão do Atlético. “A qualidade de passe que eles mostraram confundiu a nossa marcação e sempre deixava um deles na sobra. E para nosso azar, eles foram felizes em dois lances de bola parada no primeiro e no terceiro gols”.

E COMPLETOU: “os projetos são absolutamente distintos. Ainda estamos em nossos primeiros jogos e enfrentamos uma das principais categorias de base do Brasil. Em alguns momentos conseguimos equilibrar as forças, mas de maneira isolada”. Embora tenha certeza de que o adversário foi melhor, o técnico do Victória não deixou de criticar a atuação do árbitro, que marcou erroneamente um impedimento quando o placar estava 1x2, e depois o pênalti cometido pelo goleiro Rodolfo em cima do meia Alexandre, dentro da pequena área, quando o Galo vencia por 3 a 1.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: