E o Bicho já caiu antes do fim

COM EMPATE, o Montes Claros FC amarga seu segundo rebaixamento na história e não fica no Módulo II em 2016

Cobrança de falta de Rômulo ainda no 1º tempo; goleiro Cleysson espalmou
PELA SEGUNDA vez, o Bicho amarga um rebaixamento em seus 23 anos de história. Antes mesmo de o Campeonato Mineiro do Módulo II acabar, o Montes Claros Futebol Clube ficou sem qualquer possibilidade de se manter na disputa do ano que vem depois de apenas empatar em 1 a 1 com a Patrocinense, quarta à noite, no Estádio José Maria Melo, pela 9ª rodada da 1ª fase – Chave B. Foi seu pior público em cinco jogos em casa: 101 pagantes.

Santana quer a vitória na rodada final
O ADVERSÁRIO abriu o placar aos 13’ do 1’º tempo com Matheus e o zagueiro Santana empatou para o Tricolor somente a seis minutos antes do final do tempo regulamentar. Na etapa inicial, o time teve dificuldades com a marcação da Patrocinense e finalizou muito pouco. No 2º tempo, o técnico Didi mudou o esquema para o 3-5-2, com Fayllon e Rômulo na armação e Daniel no ataque. Por causa da estatura, o zagueiro Santana tornou-se um centroavante improvisado. Foram seis grandes chances de marcar, mas o goleiro Cleysson foi eficiente nas defesas.

CLIMA DE VELÓRIO

O CLIMA ao final do jogo foi de velório. Cabisbaixos, os jogadores pouco falaram e reconheceram que o time poderia ter rendido mais. “Fizemos um primeiro tempo muito aquém. Mudamos a postura no segundo tempo, mas a gente precisava de vitória para ainda brigar contra o rebaixamento”, analisou o defensor e capitão Anderson Santana. Ainda que o resultado da última rodada não faça diferença alguma, ele espera que o grupo tenha forças para buscar os três pontos e não fechar a campanha sem uma vitória sequer.

LEIA TAMBÉM


O TÉCNICO Didi Ferreira, que assumiu o time no meio da competição, entendeu o empate como a “gota d’água” de uma campanha abaixo da crítica desde o primeiro jogo. “A equipe não teve um bom rendimento ao longo da primeira fase. A gente pode até parecer repetitivo, mas faltou tranqüilidade e confiança, mas os problemas não são de agora e também aconteceram fora de campo”, resumiu.

Didi entende que a irregularidade veio desde o início
O COMANDANTE tricolor, que já viveu bons momentos no Bicho com três acessos, reconheceu que sabia do risco da queda quando assumiu o time. “Sabia sim. O risco é uma característica do futebol, mas expectativa era de que o time conseguisse repetir o que fez nos outros anos. Também faltou tempo. Jogando quarta e sábado o rendimento individual de alguns atletas não foi o que eu esperava e no coletivo foi pior ainda”.

A ATUAÇÃO irregular do time pôde ser vista como um resumo da fraca campanha que não teve uma vitória sequer. Com seis empates e três derrotas, o Bicho carimbou o incômodo passaporte para a Terceirona de 2016. Mesmo que vença o Tricordiano na rodada final não alcançaria o penúltimo colocado.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: