Clássico dos quarenta graus

EM HORÁRIO diferente para o vôlei, sensação térmica será lá em cima para Montes Claros e Sada/Cruzeiro

Tiago Salsa lembra que a grande presença de público também potencializará o calor
MESMO QUE o local seja coberto, a previsão do tempo não pode ser descartada para o segundo encontro entre Montes Claros Vôlei e Sada/Cruzeiro pelas quartas de final da Superliga Nacional. Por força da emissora que fará a transmissão ao vivo, a partida começará às 12h30 deste sábado, no Ginásio Poliesportivo Tancredo Neves, e o teto metálico do local potencializa o calor típico do Norte de Minas.

É JUSTAMENTE a adaptação ao horário que fez com que o time mudasse a agenda desde a terça-feira. Os treinos com bola acontecem entre 11 e as 13 horas. A VENETA acompanhou um desses trabalhos e constatou: 32 graus centígrados ao final do treinamento. Mas considerada a influência do teto e porque não, do piso emborrachado que cobre a quadra, a sensação térmica fica próxima aos 40ºC.

NADA DE ALÍVIO

PARA O sábado, a previsão em Montes Claros é para os mesmos 32ºC no horário estabelecido pela CBV, com 0% de chance de chuva, segundo consulta ao site Clima Tempo. Ou seja, nada de alívio quanto ao calor.

SOBRE O horário inusitado e a certeza de que as coisas serão quentes, o central Thiago Salsa entende a alta temperatura não pode ser ignorada e por isso a mudança de horário foi certeira. “Aqui [no ginásio], em condições normais já é quente e com este horário nem se fala. Se a gente pensar que o ginásio vai estar cheio com a torcida, a sensação térmica tende a ser ainda maior”. No último jogo em casa, por exemplo, o MOC jogou diante de 5,1 mil pessoas.

CRISTIAN POGLAJEN, ponteiro do Montes Claros, acredita que a alta temperatura pode acelerar o desgaste físico. “É difícil resistir com tanto calor, mas vou analisar da seguinte maneira: isso valerá para os dois lados. Eles também vão sentir. Então, temos que nos preparar da melhor maneira: dormir bem à noite, se alimentar bem pela manhã para focar apenas na parte técnica dentro de quadra”.

ARGENTINOS E RIVER

O ARGENTINO vai se reencontrar mais uma vez com o conterrâneo Marcelo Méndez, técnico do Cruzeiro. Vindos de Buenos Aires, no futebol os dois são torcedores do River Plate. “Nunca trabalhei com ele e ainda não somos próximos. Conversamos apenas quando há jogos entre os nossos times, mas espero que a gente seja mais eficiente agora e consiga forçar o terceiro jogo. O Cruzeiro virá para “matar” a série e, por isso, acho que poderemos arriscar mais”.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: