Montes Claros Vôlei fora da Copa do Brasil

COM PROBLEMAS no saque e no bloqueio, time que faz melhor campanha que o adversário na SL, perde de virada para a UFJF

Com dificuldade no saque, o bloqueio do Montes Claros também não foi eficiente
O MONTES Claros está fora da Copa Brasil de Voleibol. No duelo eliminatório contra a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), o time não fez valer o mando de quadra e perdeu de virada na noite desse domingo, no Ginásio Poliesportivo Tancredo Neves. As parciais foram de 25/21, 24/26, 25/21, 22/25 e 12/15. O time agora só terá a Superliga Nacional como compromisso até o final da temporada. O próximo jogo será nesta quarta-feira, às 20 horas, contra o São José dos Campos/SP, no ABC Paulista.

E OS argumentos da comissão técnica e dos jogadores para explicar a derrota foram bem parecidos. O treinador Marcelinho Ramos viu um jogo equilibrado, mas a ineficiência do seu time no saque foi considerável. “Não quero tirar o mérito do adversário, mas fomos ineficientes no saque. E quando equilibramos nesse fundamento, com a quebra do passe, não fomos constantes”, disse.

"MELHOR CAMPANHA"

MARCELINHO LEMBROU que, mesmo com o equilíbrio dessa partida, é importante ressaltar que a UFJF apresenta um orçamento maior que o do Montes Claros e, mesmo assim, o clube norte-mineiro faz uma campanha superior à do time de Juiz de Fora na Superliga. O MOC tem 15 pontos contra 12 do rival.


Edinho e o grupo retomaram treinos à tarde (Fredson Souza)
O OPOSTO Edinho fez leitura idêntica. “A gente alternou em saques curtos e forçados, mas erramos mais do que eles. O passe na mão facilitou o ataque do adversário e eliminou a eficiência do nosso bloqueio”.

ENTRE JOGOS do Campeonato Mineiro (2), Superliga (1) e Copa Brasil, Montes Claros e UFJF se enfrentaram quatro vezes na temporada e o time da Zona da Mata venceu três vezes. A Copa BR é eliminatória e a UFJF está classificada para enfrentar o Sada/Cruzeiro na segunda fase, dia 14/1, em Contagem.

HOJE À tarde, o grupo retomou a rotina de treinos. Márcio Jaime, pai do ponteiro Michel, veio de Belo Horizonte para acompanhar os trabalhos do filho. (Foto: Alex Sezko)
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: