Funorte oficializa novo pedido

CLUBE PROTOCOLOU documentos junto à presidência e ao TJD para que seja revista a decisão de não incluí-lo no Módulo II

Cezinha recebeu proposta e saiu
EM QUE pese e reconheça a decisão da presidência e da diretoria executiva da Federação Mineira de Futebol em não substituir o desistente Nacional EC na próxima edição do Módulo II, o Funorte se vê no direito de ainda brigar pela vaga com base no critério técnico como terceiro colocado da 2ª Divisão/2014.

NO INÍCIO da semana (segunda-feira), o comando do clube esteve na Capital Mineira para formalizar à presidência da FMF um pedido para que a decisão seja revista. Ao mesmo tempo, na terça, o Formigão protocolou o documento denominado “Medida Inominada com Medida Liminar” para que o Tribunal de Justiça Desportiva da FMF desconsidere o formato do Módulo II com apenas 11 clubes.

NAS DUAS frentes, o FEC esteve representado por seu diretor executivo Cristiano Dias Júnior e pelos advogados Ramon Rocha e Gustavo Valadares

NA ÚLTIMA sexta-feira, a presidência da FMF por meio da 1ª resolução oficial de 2015 decidiu reconhecer o pedido de desistência do Nacional Esporte, multá-lo em R$ 100 mil por este procedimento e não preencher a vaga deixada pelo clube na Chave A do Módulo II. Como em outros anos (e gestões diferentes) a Federação recorreu ao critério técnico para manter o número de participantes da competição, o FEC esperava ser indicado pela vaga a partir do critério técnico, o que não aconteceu.

REUNIÃO

NESSA SEGUNDA-FEIRA, Cristiano Júnior esteve reunido com o presidente da FMF, Castellar de Carvalho Neto, com o secretário geral Adriano Aro e com o diretor jurídico Sérgio Rezende para falar sobre o procedimento do clube. “Ele foi bastante receptivo e entendeu que este é um direito do clube”. Sobre a medida apresentada ao TJD, segundo o diretor do Funorte, caberá ao Tribunal a avaliação da resolução nº 1/2015.

ACONTECE QUE o TJD/FMF só voltará a se reunir no dia 26/01, quando termina o recesso. Em meio às dúvidas, os jogadores e a comissão técnica seguem trabalhando, mas diante do assédio dos demais clubes pode ser que alguns sejam liberados. O zagueiro Ícaro Baiano e o meia Cezinha, por exemplo, já não estão mais na cidade.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: