Acesso pode vir nos bastidores

FUSÃO COM o Nacional Esporte Clube – ou mesmo desistência – deve colocar o Funorte no Módulo II; FMF não confirma

Com tropeços em casa, o Funorte não conseguiu o acesso para o Módulo II
UM TRABALHO de bastidores pode render ao Funorte a vaga no Módulo II que não conseguiu no campo. Terceiro colocado no último Campeonato Mineiro da 2ª Divisão, o clube estaria perto de fechar uma parceria com o Nacional Esporte, clube que recentemente se sediou em Muriaé depois de representar três cidades diferentes em competições oficiais do Estado (Coronel Fabriciano, Nova Serrana e Patos de Minas).

O ACORDO pode funcionar de duas formas: o Funorte se fundir com o Nacional ou a simples desistência do Naça quanto ao Módulo II. No primeiro caso, a vaga viria automaticamente, mas no segundo, o FEC dependeria de uma posição oficial da Federação Mineira de Futebol (FMF) para assumi-la pelo critério técnico ou, ainda, da aprovação dos demais clubes numa assembleia para que a substituição aconteça.

EM MURIAÉ há dois Nacionais. O Nacional Esporte disputou a 1ª Divisão Mineira e foi rebaixado. Já o Nacional Atlético disputou a Segundona mais recente e conquistou o vice-campeonato e o acesso automático. Há dirigentes em comum nesses clubes e como a cidade passaria a ter duas vagas numa mesma divisão, chegou-se à hipótese para que, como o NEC é mais novo, seria mais fácil abrir mão da competição.

PALAVRA DA FEDERAÇÃO

BERNARDO FIORINI, do departamento técnico da FMF, conversou com a VENETA e adiantou que até o final da tarde dessa quarta-feira “ninguém ligado ao Nacional Esporte havia protocolado algum pedido” neste sentido e, por isso, “a Federação não poderia se pronunciar oficialmente” sobre como aconteceria o preenchimento de uma possível vaga em aberto no Módulo II.

O PRESIDENTE do NEC, Amarildo Ribeiro, também foi procurado em quatro oportunidades, mas o seu telefone está desligado. Uma informação recente dá conta de sondagens das cidades de Manhuaçu e de Esmeraldas para que o Nacional mude pela quinta vez de casa. Amarildo esteve como um dos diretores do NAC.

PELO LADO do Funorte, logo após a campanha da Segunda Divisão, na qual o clube ficou em terceiro lugar e perdeu o acesso em campo por um ponto, o clube já sustentava essa possibilidade de o NEC abrir mão da vaga, mas sem garantias considerou arriscado renovar o contrato com o elenco e assumir o ônus dos salários sem a confirmação de uma disputa no primeiro semestre do ano que vem.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: