Amador é do Magalhães

ARTILHEIRO NAS semifinais, atacante Rafael Maranhão decide outra vez e marca o gol do título do time azul

Goleiro Fred desolado e Maranhão comemora o gol que garantiu o título ao Maga
FESTA PARA a região do Grande Delfino, O Magalhães Esporte Clube é o novo campeão amador de Montes Claros com a vitória de 1 a 0 sobre o Vasco do Santos Reis, na tarde de sábado, no Estádio José Maria Melo. Herói do time quando marcou todos os gols das semifinais, o atacante Maranhão voltou a brilhar. Foi dele o gol do título, aos 13’ do 2º tempo. A partida teve como destaque nos bastidores o ineditismo de uma transmissão ao vivo no futebol amador, protagonizada pela TV Geraes (Canal 2 – Rede Minas). - Foto: Daniel Silva/Secom

NESTA QUINTA-feira, a Secretaria Adjunta de Esportes, Juventude e Lazer realiza a cerimônia oficial de encerramento do Amador, às 19h30, na Sala Geraldo Freire (anexo da Câmara Municipal), com a premiação dos campeões, da seleção do campeonato e dos destaques individuais: musa do campeonato, goleiro menos vazado, artilheiro e troféu disciplina. O Magalhães teve quatro representantes no selecionado: Serjão (zagueiro), Hudson (volante), Maranhão (atacante) e Lourão (técnico).

PRESTÍGIO

NA RODADA dupla com a final do Amador e o jogo Funorte x Arsenal pelo Mineiro da 2ª Divisão, o Estádio José Maria Melo recebeu um público aproximado de 800 pessoas. Por se tratar de uma final única, os times tentaram errar o mínimo possível. A marcação foi intensa dos dois lados e o grande número de faltas foi inevitável.

Lance da final; primeiro tempo com poucas finalizações e muitas faltas
AINDA ASSIM, Magalhães e Vasco tiveram duas chances – cada – para abrir o marcador. Embora livres nas finalizações, os atacantes erraram na pontaria. Os goleiros Nem e Fred pouco trabalharam. Na etapa final, os times aliviaram na marcação e se mostraram mais objetivos entre o meio e o ataque.

O MAGALHÃES aproveitou logo sua primeira chance. O volante Hudson, que estava improvisado na lateral direita, cobrou um lateral com força e colocou a bola dentro da área. O goleiro Fred tentou encaixar, mas a bola escapou entre as mãos. A falha foi determinante, pois a bola caiu nos pés de Maranhão, que só teve o trabalho de escorar para as redes. Seu quinto gol em três jogos decisivos. No lance, o arqueiro vascaíno caiu de mau jeito e precisou ser atendido. O jogo ficou paralisado por quatro minutos.

Público para a rodada dupla no José Maria Melo foi em torno de 800 pessoas
NITIDAMENTE, O gol deu tranqüilidade ao Magalhães e deixou o time do Vasco nervoso na busca pelo empate. Os vascaínos “queimaram” as cinco substituições para fortalecer o ataque. Num golpe de vista do goleiro Nem, por pouco Deninha não empatou. Nem mesmo com a ida do goleiro Fred para a área adversária, na tentativa de aproveitar uma cobrança de falta, ajudou ao time do Santos Reis. Mas o Magalhães soube fechar a marcação no meio e isolou a bola em alguns momentos para garantir a vitória.

TIMES

Magalhães - Nem; Hudson, Serjão, Talento e Serginho; Gilmar, Barbosa, Zói (Toninho) e Daílson; Meidson (Lulinha) e Maranhão (Rafael). Vasco - Fred; Deda (Cesinha), Xau, César (Carlinhos) e Wesley; João Paulo (Rafinha), Galego (Gil), Arley e Deninha; Fanta (Azeitona) e Aquiles.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: