Ainda com dificuldades, MOC Vôlei perde em casa para o Minas

TIME SENTE a falta de ritmo de jogo; próximo desafio será contra a UFJF, de novo em casa

O Montes Claros estreou em casa de uniforme amarelo, mas ainda sem ritmo
NÃO FOI como o esperado, pelo menos dentro de quadra, o primeiro encontro do novo time do Montes Claros Vôlei com a torcida. Nas arquibancadas, o público fez sua parte e quase duas mil pessoas compareceram ao Ginásio Poliesportivo Tancredo Neves na tarde desse sábado, para ver a partida contra o Minas Tênis Clube, válida pela 2ª rodada do turno do Campeonato Mineiro.

MAS COM bola em jogo, com dificuldade nos contra-ataques e no saque, o MOC Vôlei mostrou que ainda sente a falta de ritmo de jogo e o time de BH levou a melhor, vencendo-o por três sets a zero, parciais de 25/20, 25/21 e 25/22. O Minas esteve à frente todos os tempos técnicos dos três sets.

Técnico anterior do MOC e hoje no Minas, Nery credita vitória ao tempo de trabalho
A CHANCE da reabilitação será no dia 21 próximo, novamente em casa, contra a UFJF. Sobre o rendimento ideal, o técnico Carlos Schwanke acredita que isso acontecerá gradativamente, quando o elenco estiver completo e com todas as opções disponíveis para que as variações táticas possam ser aplicadas.

"DIFERENÇAS"

O MONTES Claros treina há apenas três semanas, enquanto o Minas vem de uma agenda de treinos e amistosos há três meses. "Conseguimos render como o esperado. A gente vem de uma sequência de 90 dias de trabalho e certamente tínhamos mais entrosamento que o adversário. Com todo respeito, mas diante deste cenário e mesmo com uma equipe muito jovem, seria até obrigação de nossa parte vencermos a partida", analisou o técnico Nery Tambeiro Júnior, do Minas, que passou pela equipe montes-clarense na temporada passada.


ÍNDIO, LEVANTADOR reserva do MOC Vôlei está cedido ao Rio Claro para a disputa do Campeonato Paulista, enquanto o ponteiro argentino Cristian Poglajen tem apenas uma semana de treinamento com o grupo. Já o central Pedrão, cedido por empréstimo pelo Sada/Cruzeiro, só virá após o estadual, em outubro, na véspera de abertura da Superliga Nacional.

O PONTEIRO Igor Ceará entendeu também que a ansiedade pelo fato de ter sido o primeiro jogo em casa atrapalhou o rendimento do time. "Isso é algo natural, mas a gente tem muito mais potencial do que isso que mostramos. O time tem jogadores experientes, com currículo de seleção brasileira e não pode ter este tipo de dificuldade", disse, ao entender que "os erros excederam um pouco" neste primeiro compromisso em casa.

(Foto: Fredson Souza)
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: