Gilberto Silva: “Brasil é favorito, mas Argentina e Alemanha também são”

MESMO ANTES de encerrar a carreira nos gramados, Gilberto Silva (37 anos) vai estrear em outra profissão. O meio de campo campeão do mundo com o Brasil em 2002 será comentarista para o canal internacional da ESPN durante a Copa, que começa no próximo dia 12, com Brasil x Croácia.

NA SEMANA passada, inclusive, ele esteve em Londres para conhecer a equipe com a qual trabalhará nos estádios e nos estúdios durante o mundial. O idioma inglês não será problema, afinal, por sete temporadas ele atuou no Arsenal da Inglaterra, no qual teve o privilégio de ser o capitão.

NA NOITE de ontem, Gilberto esteve como um dos convidados especiais do Troféu Bola Cheia, prêmio aos melhores do esporte em Montes Claros em 2013. Pela tarde, ainda no aeroporto, conversou com a VENETA e adiantou que daqui a um mês voltará aos gramados, mesmo que ainda esteja avaliando propostas de clubes do Brasil e do exterior. Confira:

Aos 37 anos ainda há fôlego?
GILBERTO SILVA – “Sim. Sempre me cuidei. Estou na fase final de recuperação de uma cirurgia delicada no joelho direito, quase pronto para voltar a jogar. Tenho propostas do Brasil e do exterior e ainda estou avaliando o que será melhor. Acredito que, em um mês já posso voltar a trabalhar em campo”.

O Atlético não renovou seu contrato depois da grande temporada passada. Ficou alguma mágoa?
GS – “De jeito algum. Agradeço muito ao Atlético por mais uma oportunidade, na qual pude ser campeão da Libertadores. Sobre o fato de a renovação não acontecer, o clube teve suas prioridades e claro que eu respeito.”

Então, sobre esta mudança temporária de lado, de atleta para comentarista: o que espera do Brasil na Copa do Mundo?
GS – “Manter o time que ganhou a Copa das Confederações foi um ponto positivo. O grupo tem muita qualidade, mas o fato de não ter jogado as eliminatórias pode pesar um pouco no entrosamento. A preparação final será imprescindível para acertar melhor o grupo”.

O Brasil é favorito?
GS – “Sim, a começar pelo fato de jogar em casa. Mas considero a Alemanha e a Argentina também como grandes favoritos pela qualidade de seus atletas e pela força que mostraram até aqui”.

Há alguém na nova família Scolari que lembra um pouco o que o Gilberto Silva quando esteve na Seleção?
GS – “Cada um tem seu estilo e característica, mas o Luís Gustavo faz uma função parecida à que eu desempenhei naquele mundial que ganhamos”.

Gilberto Silva na homenagem especial do Bola Cheia ao
jornalista Felipe Gabrich pelos 50 anos de profissão
Você passou muito tempo no Arsenal. Imagino que a sua torcida seja para o Brasil, mas vai sobrar uma forcinha para o “English Team”, afinal eles estão no “grupo da morte”...
GS – “Estive em Londres na semana passada e os próprios ingleses não mostram um grande otimismo para esta Copa, principalmente por causa da renovação que aconteceu no grupo. Muitos atletas estarão em sua primeira Copa do Mundo. Os mais experientes serão importantes dentro e fora de campo para dar confiança à equipe”.

E como apareceu esta oportunidade de se tornar comentarista na Copa?
GS – “Antes mesmo de sair do Grêmio já havia uma sondagem do pessoal da ESPN. Fiquei feliz porque a Copa é o evento esportivo mais importante do mundo. Me preparei para aceitar o convite, até mesmo para ter postura em vídeo essas coisas que o pessoal da imprensa está acostumado”.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: