Bola Cheia: ídolos destacam que esporte não funciona sem educação

GILBERTO SILVA, Piazza e Raul enfatizam no discurso o esporte como instrumento para a cidadania foi o destaque na solenidade, que premiou 73 pessoas

COM 73 homenageados, foi realizada na noite dessa terça-feira (20/05), a 12ª edição do Troféu Bola Cheia – Prêmio Marcelino Paz do Nascimento. A solenidade no salão nobre do Automóvel Clube reuniu aproximadamente mil pessoas, que acompanharam a premiação aos melhores do esporte em competições regulares de 22 modalidades realizadas em 2013.

O LUTADOR de MMA André Muniz, o “Sergipano”, venceu a eleição popular realizada pelo site globoesporte.com para a escolha de “Atleta do Ano”. Dos 3.468 votos, ele obteve 1.615, o que corresponde a 46,57% dos votos eletrônicos registrados entre os dias 12 e 21 de maio.

EM SEU pronunciamento, o coordenador do prêmio, Denarte D’Ávila disse que a ideia do Troféu surgiu como uma maneira de reconhecer o mérito de atletas e entidades e, ao mesmo tempo, para “servir de exemplo aos mais jovens” de como o esporte é importante para a cidadania.

JÁ CARLOS Muniz, secretário municipal de Juventude, Cultura e Esporte, enalteceu a importância do apoio da Unimontes ao “Oscar” do esporte regional, que reverencia “Montes Claros como sendo a cidade de todos os esportes”.

EXEMPLOS

UM DOS convidados especiais nesta edição, o ex-goleiro do Cruzeiro Raul Plasmann lembrou que o esporte faz parte dos sonhos das pessoas, mas é preciso também priorizar o conhecimento. “Todos têm sonhos e devem lutar por eles, mas os estudos podem fazer parte disso tudo. Quando você está preparado, sente-se mais seguro em tudo o que faz”, disse.

CAMPEÃO DO mundo com a seleção brasileira na Copa de 2002, Gilberto Silva foi outra presença ilustre na solenidade e em seu pronunciamento destacou que o atleta deve se tornar primeiro cidadão. O ex-jogador de Atlético, América, Grêmio e Arsenal (Inglaterra) diz se sentir orgulhoso em compartilhar a experiência de atleta profissional com os mais novos. “Reitero que o mais importante do que ser atleta é ser cidadão. Este é um dever de que é experiente levar esta mensagem, como faço com orgulho aqui em Montes Claros. Infelizmente, ainda nem todos têm essa percepção”.

WILSON PIAZZA também prestigiou o Troféu Bola Cheia. Campeão com o Brasil na Copa de 70, ele reforçou o discurso dos outros homenageados especiais sobre a importância dos estudos junto à carreira de atleta, independente da modalidade e de que seja amador ou profissional. “Iria mais além. Sugiro às federações que os atletas só possam assinar contratos ou fichas de filiação desde que estejam com o ensino médio completo. Tenho certeza que, com isso vamos mudar a história”.

HOMENEGEADOS

VITOR DOURADO, de 18 anos, foi homenageado na categoria paralímpica. O atleta é biamputado (pernas) após um acidente de carro há dois anos e no ano passado conquistou títulos na natação da Olimpíada Escolar Brasileira. “É muito bom receber este reconhecimento em minha cidade e que o nosso trabalho sirva de exemplo para outras pessoas”, disse.

JÁ ANDRÉ Muniz dividiu a conquista com os familiares e amigos que contribuíram na votação para o prêmio de “Atleta do Ano”. Aos 24 anos, o lutador entende que a homenagem é um incentivo a mais para continuar buscando mais conquistas. “Ser reconhecido em casa é sempre bom”.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: