Câmara veta repasse para o MCFC

CLUBE CONCENTRA críticas em questão política e não descarta fechar as portas pela terceira vez

Presidente do MCFC vê motivação política para o veto
EMBORA A vitória sobre o Uberlândia tenha amenizado a campanha irregular que o Montes Claros FC no Hexagonal Final, a semana começou com polêmicas para o lado do Tricolor com o veto ao projeto do município de ajuda de custo ao clube. Na reunião dessa terça-feira, por 12 votos contrários e oito a favor, os vereadores reprovaram o repasse de R$ 231 mil.

O DINHEIRO que não veio representa 50% do orçamento calculado pelo clube antes de a competição começar. Os argumentos dos vereadores para o veto foram desde a contratação do goleiro Bruno, condenado e preso em Contagem; a falta de prestação de contas do repasse anterior feito durante o Mineiro da 2ª Divisão/2013 e, ainda, o parentesco entre o gerente de futebol do MCFC Jota Dias com o secretário adjunto de Educação Cristiano Júnior - o que seria inconstitucional segundo a lei municipal.

EM TOM de desabafo, o presidente Ville Mocellin disse em entrevista ao vivo ao Jornal Geraes (TV Geraes - Canal 2) que o veto teve motivação política e sem o dinheiro o clube confirma o prejuízo de R$ 500 mil somente com a disputa do Módulo II.

“MESMO COM tantos atropelos, nunca atrasamos nossa folha salarial. Mas agora a coisa será diferente porque o dinheiro serviria para o acerto com os atletas. Os jogadores que foram liberados depois do jogo de domingo receberam cheques pré-datados para 1º de maio. Até lá, vamos tentar resolver isso. Muitos são pais de família e não podem ficar na mão”, disse Ville.

PARA A VENETA, ele disse que não descarta paralisar as atividades mais uma vez – seria a terceira desde sua fundação, em 1992. “Se não gostam do Montes Claros, paciência, mas que ajudem outros clubes da cidade: Ateneu, Cassimiro ou o Funorte. Mas a cidade não pode ficar sem um time que a represente. Um time profissional é espelho para as crianças”, finalizou.

O DIRIGENTE deixou escapar que precisou pedir dinheiro emprestado para manter as contas em dia e que a esperança está na negociação daqueles jogadores que se destacaram na campanha, desde a primeira fase.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: