Virada em Patos e líder isolado

COM VÁRIAS adversidades, Bicho mostra personalidade, dobra o Mamoré e segue firme na briga pela vaga na fase final

Léo Baiano e Rafael Bill na marcação sobre Charles; Bicho virou na etapa final
CHUVA, PRESSÃO da torcida adversária, seis cartões amarelos, erros do juiz (para os dois lados) e virada no placar. Esse foi o resumo do jogo que recolocou o Montes Claros Futebol Clube na liderança isolada da Chave B do Campeonato Mineiro do Módulo II. O Bicho retomou a ponta ao vencer o Mamoré por três a dois, domingo à tarde, no Estádio Bernardo Rubinger Queiroz, em Patos de Minas, pela última rodada do turno – 1ª fase.

COM 12 pontos, o time está bem próximo de garantir matematicamente uma das três vagas do grupo para a fase final. Nas cinco rodadas restantes, será mandante em três, a começar nesta quarta-feira, às 19 horas, de novo contra o Mamoré.

PRESSIONADO PELA campanha ruim, o Mamoré teve domínio nos primeiros 20 minutos. Foram muitas bolas aéreas na defesa do MCFC, mas foi pelo meio que abriu o placar, logo aos 6’. Luiz Ricardo arriscou de fora de área e acertou o ângulo de Thiago Wanderson.

SÓ AOS 23’ que o Bicho conseguiu sua primeira finalização de fato. Diogo Brasília chutou fraco e Fabrício defendeu sem problemas. Mas dois minutos depois, Rafael Bill saiu da esquerda e tocou no meio para Léo Baiano. Ele tocou de primeira para Rafael Filipe, que dominou dentro da grande área e tirou o goleiro da jogada para empatar.

Comemoração do primeiro gol do MCFC marcado pelo atacante Rafael Filipe (C)
O MAMORÉ poderia ter virado antes do intervalo. Após cobrança de escanteio, Luiz Antonio cabeceou sozinho na segunda trave e Thiago defendeu à queima roupa.

“LAMBANÇAS”

NA ETAPA final, o árbitro Hélio José dos Santos foi um dos principais protagonistas em campo. Mostrou rigidez na aplicação dos cartões, acompanhou os lances a distância e errou na marcação dos pênaltis. Aos 16’, Thiago Carvalho perdeu o domínio da bola escorregou dentro da área. Jonathan Reis cobrou e recolocou o Sapo na frente.

POUCO TEMPO para comemorar. Num lançamento da intermediária do zagueiro Ralph, Rafael Filipe chegou à frente, mas o zagueiro adversário chegou na frente e isolou a bola. Os dois trombaram e o árbitro entendeu como falta. Outra penalidade e Rômulo converteu para o Bicho.

O EMPATE motivou o Tricolor, que colocou a marcação no campo de ataque. A pressão na saída de bola do Mamoré surtiu efeito logo aos 19’. Diogo Brasília se antecipou ao defensor do Sapo e na saída de Fabrício fez o terceiro gol, rasteiro, do meio da área.

Oportunismo de Diogo Brasília para o gol da vitória
EM VANTAGEM pela primeira vez, o Montes Claros fez de tudo para segurar o placar e até teve chance de ampliar em dois contra-ataques. O goleiro adversário saiu nos pés dos atacantes e impediu uma virada ainda maior. Já o Mamoré ficou incomodado com as vaias da torcida e teve trabalho com o reforço na marcação que o técnico Didi fez na entrada da área tricolor com as entradas de Vinícius Almeida e de Diogo Assunção.

PARTE DAS organizadas deu as costas para o campo. Um chute da intermediária foi a única chance clara de empate que os donos da casa tiveram, mas Thiago espalmou para escanteio. Foram seis minutos de acréscimo por causa das substituições e de três atendimentos médicos, mas ainda sim o Bicho se segurou e consolidou sua segunda vitória como visitante; a quarta em cinco jogos.

FICHA TÉCNICA

MAMORÉ – Fabrício; Bruno Limão, Thales, Luiz Antonio e Fabiano; Thiago Carvalho, Caetano (Jean Santiago), Luiz Ricardo e Charles; Luizinho (Wellinton) e Leonardo (Jonathan Reis). DT – Gerson Evaristo.

MONTES CLAROS – Thiago Wanderson; Fayllon, Santana, Ralph e Rafael Bill (Diogo Assunção); Léo Baiano, Rodrigo Caixote, Rômulo (Vinícius Almeida) e Diogo Brasília (Peu); Rafael Filipe e Vinícius. DT – Didi Ferreira.

AMARELOS: Fayllon, Santana, Diogo Assunção, Léo Baiano, Caixote e Diogo Brasília (MOC); Bruno Limão, Luiz Antonio e Jonathan Reis (MAM) - Fotos: DE VENETA
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: