Presidente não viu exagero em acréscimos

EMBORA O gol tenha acontecido nos acréscimos, a direção do MCFC não mostrou revolta com os cinco minutos a mais que foram aplicados pelo árbitro Adriano Alves de Oliveira ao final do 2º tempo.

“O HABITUAL fica entre três e quatro minutos, mas não vi como exagero. Foram três substituições de cada clube somente no segundo tempo e quatro vezes o carrinho-maca entrou em campo para atendimento médico”, observou o presidente Ville Mocellin, que acompanhou a delegação em Uberlândia.

NO ENTANTO, o dirigente disse que sofreu com o revés ao final do jogo. “O empate seria o mais justo, mas pela personalidade que o time teve, o grupo está de parabéns. Confiamos sim na classificação”, completou.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: