Novo MC Vôlei termina na lanterna geral da Superliga

TIME PERDE de virada para o Sesi/SP e agora terá de encarar o "Torneio da Morte" para tentar a permanência da Elite

NA RODADA de despedida da Superliga, o novo Montes Claros Vôlei perdeu para o Sesi/SP por 3 a 1, quarta à noite, diante de 900 pessoas no Ginásio Poliesportivo Tancredo Neves. A combinação com os outros resultados da noite deixou o time norte-mineiro com a lanterna geral da Superliga Nacional, com apenas 19 pontos. O Voltaço conquistou a mesma pontuação, mas com uma vitória a mais. As parciais foram de 21/17, 14/21, 17/21 e 19/21.

E COM o final dos dois turnos, o presidente do Montes Claros Vôlei, Paulo Martins, acredita que o time esteja agora no “limbo” diante da expectativa quanto ao futuro. Não há garantias para que o time permaneça na principal competição nacional entre 2014/2015.

REUNIÃO DIA SEIS

NA CONDIÇÃO de lanterna terá que disputar uma repescagem contra as outras três equipes que ficaram de fora dos play-offs: Taubaté, Voltaço e UFJF. A CBV marcou uma reunião técnica para a primeira quinta-feira depois do Carnaval (dia 6) no qual definirá o calendário desse “torneio da morte” – além da fórmula de disputa.

MAS UMA coisa é certa: os dois melhores nessa repescagem “sobrevivem” e se garantem na próxima Superliga ao lado dos oito melhores deste ano, do campeão da Superliga B e de um convidado. Os dois piores ou terão que disputar a Superliga B ou tentar junto à CBV ser esse único convidado.

“TRAÇAMOS O planejamento para três anos na Superliga. Se acontecer, não fugiria da disputa da Superliga B, viemos de lá. Resta-nos esperar pelas decisões da Superliga sobre como será a repescagem”, disse Paulo. O Monte Cristo, time que se transferiu de Goiânia e virou Montes Claros, foi o campeão da última Superliga B. Segundo ele, confiante na permanência na Superliga principal, o novo MOC Vôlei já teria definido 60% do orçamento para a temporada seguinte.

AINDA SEM definição das datas com o “torneio da morte”, os jogadores e a comissão técnica deixaram a cidade já na manhã desta quinta-feira.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: