MOC Vôlei recebe o Sesi para fechar a "temporada dos contratempos"

TIME TENTA despedida honrosa que possa evitar lanterna geral da Superliga; permanência para 2014/2015 dependerá de "mini-liga"

Campanha ficou marcada pelos contratempos financeiros e irregularidade técnica
O NOVO Montes Claros Vôlei encerra a participação em sua primeira temporada na Superliga Nacional nesta quarta-feira, às 19 horas, contra o Sesi/SP, no Ginásio Poliesportivo Tancredo Neves. Enquanto para o MOC a vitória vale a fuga da incômoda lanterna geral entre os 12 clubes, para o time paulista pode valer a primeira colocação geral.

EM CASA, foram 10 jogos até aqui e o Montes Claros venceu apenas três vezes. No geral, o time fez 21 jogos e ganhou apenas cinco. São 19 pontos, melhor apenas que o Funvic/Taubaté (18). A irregularidade tem explicação.

COMO FOI


O CLUBE teve de conviver com a restrição de orçamento diante uma mudança na última hora de Goiânia para Montes Claros. Sem dinheiro para cobrir a receita planejada, o jeito foi cortar a folha em mais de 50%. Houve até despejo de hotel por atraso de pagamento. Alguns atletas aceitaram a mudança, mas outros não.

NADA MENOS que nove jogadores do grupo original deixaram o clube no meio da competição. O ponteiro Túlio, que estava entre os maiores pontuadores da competição, foi um deles, assim como o oposto Wanderson e o ponteiro Bob.

ESSA REDUÇÃO drástica teve efeito no rendimento em quadra. Com poucas peças de reposição, o time acumulou o desgaste com viagens e com jogos seguidos (chegou a fazer cinco em 12 dias).

INDEPENDENTE DO resultado de hoje, o MOC Vôlei já sabe qual será seu breve futuro. Os times classificados entre 9º e 12º lugares terão de disputar um torneio de repescagem no qual somente os dois melhores garantirão vaga automática na próxima Superliga. Ou seja, terá de encarar uma “mini-Liga” para não ter que depender de um convite para seguir na Elite do vôlei brasileiro na temporada 2014/2015.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: