Bicho perde invencibilidade de 18 meses como mandante

TIME NÃO supera retranca do Mamoré e com gol contra leva “troco” três dias depois; Uberlândia agora é líder

Com chuva, Mamoré venceu o Bicho em pleno José Maria Melo
FIM DA série de invencibilidade do Montes Claros Futebol Clube como mandante. Depois de 14 partidas em 18 meses, entre compromissos pela Segunda Divisão de 2012 e de 2013 e do Módulo II deste ano, o Bicho voltou a perder como anfitrião na noite dessa quarta-feira, no Estádio José Maria Melo. O Mamoré de Patos de Minas venceu por um a zero em duelo válido pela 1ª rodada do returno do Módulo II – Chave B. O gol foi contra, marcado pelo zagueiro Vinícius Almeida, que fazia seu primeiro jogo como titular. Na verdade, foi um troco; três dias antes, o MCFC surpreendeu o Sapo, de virada, em Patos: 3x2.

A ÚLTIMA derrota do Bicho em casa foi para o Nacional de Uberaba (0x3), no dia 8 de setembro de 2012, pela 2ª Divisão. Contra o Funorte, na fase final da Segundona do ano passado, o time também perdeu, mas era o visitante no clássico. Ainda no meio de semana, mais dois jogos pela Chave B: Nacional 0x1 Uberlândia e Patrocinense 0x0 Araxá. Com a vitória do Verdão, o Tricolor perdeu a liderança por um ponto.

Contratempos

MCFC manteve padrão na marcação, mas não rendeu nos demais
FICOU NÍTIDO que o time sentiu a combinação “desfalques (Santana e Léo Baiano suspensos) mais cansaço” pela sequência de três jogos e duas viagens (2,1 mil KM) em apenas dez dias. Além disso, choveu durante todos os 90 minutos. O técnico Didi Ferreira e dois dos líderes do grupo – o goleiro Thiago Wanderson e o volante Rodrigo Caixote – reconheceram as dificuldades, mas preferiram dar mérito do adversário, que soube marcar (na verdade, armou uma forte retranca) e dificultar o chamado “passe final” do MCFC. 

DE FATO isso também aconteceu. O Bicho até chegava à entrada da área do Mamoré, mas não conseguia completar a assistência para as finalizações. Além disso, nas jogadas de linha de fundo e de bola parada, ponto forte na campanha até aqui, quem estava na área adversária quase sempre errava o tempo da jogada e acabou por participar do lance de costas para a bola.

O PRIMEIRO tempo foi fraco tecnicamente e só “vingou” ao final, com um chute de Jonathan Reis de fora da área que Thiago espalmou para dentro da área e Fayllon isolou o rebote; e no carrinho de Vinícius Nogueira, que completou de primeira um cruzamento vindo da direita. A bola raspou no travessão de Fabrício.

Sem melhoras

NA ETAPA final, a linha de frente do Bicho não melhorou de rendimento, mas mesmo assim teve outras duas boas chances de gol antes dos 15’: Diogo Brasília num chute rente ao gol [mas para fora] e Rômulo, que invadiu a área e acertou a trave direita do Mamoré.

AOS 20’, o gol solitário da noite. Bruno Limão cobrou o escanteio bem fechado e Leonardo desviou a bola na primeira trave, o suficiente para tirar toda a defesa do Bicho do tempo da bola. Vinícius Almeida, que estava no meio da área, ainda tentou tirá-la, mas a cabeçada foi direto para as redes de Thiago: gol contra.

A OBEDIÊNCIA tática de outros jogos não prevaleceu e os jogadores do MCFC tentaram o empate cada um ao seu jeito. A vitória recolocava o Mamoré na briga por uma das vagas ao Hexagonal Final, além de manter o emprego do então ameaçado técnico Gerson Evaristo. Por isso, os visitantes reforçaram ainda mais a marcação nas três substituições, além de insistirem na “cera”. O massagista entrou em campo seis vezes para atendimentos, isso em menos de 20 minutos. O MCFC tentou compensar e chegou ao final do jogo com três atacantes, mas sem sucesso. 

MONTES CLAROS: Thiago Wanderson; Fayllon, Ralph, Vinícius Almeida e Rafael Bill; Caixote, Diogo Assunção (Índio), Rômulo e Diogo Brasília (Daniel); Vinícius Nogueira e Rafael Filipe (Peu).

MAMORÉ: Fabrício; Bruno Limão, Thales, Luiz Antonio e Fabiano; Thiago Carvalho, Caetano (Ciro), Luiz Ricardo e Luizinho; Jonathan Reis e Leonardo (Wellington). 

PÚBLICO: 200 pagantes. CARTÕES: Caixote (3º), Ralph e Diogo Assunção (MOC); Fabrício e Wellington (MAM). No domingo, no duelo que vale a ponta, o time tricolor receberá o Uberlândia, pela sétima rodada (2ª do returno).
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: