Bicho estreia bem e derruba técnico do Ganso

DE VIRADA, juventude do Montes Claros vence o Araxá na abertura do Campeonato Mineiro do Módulo II

Zagueiro Santana em lance contra o atacante Tony, do Araxá
PREVALECEU A juventude do Montes Claros FC, que mandou a campo um time com média de idade de 23,7 anos. O Bicho estreou com vitória no Campeonato Mineiro do Módulo II. Fez dois a um no Araxá, domingo à tarde, diante de 344 pagantes no Estádio José Maria Melo.

TONY ABRIU o placar para o Ganso, aos 16’ do 1º tempo e Fayllon aos 8’ e Diogo Brasília aos 15’ viraram para o Bicho. O resultado provocou a demissão do técnico do Ganso Eugênio Souza. Também pela Chave B, mais duas partidas no mesmo dia: Uberlândia 2x1 Mamoré e Nacional 1x4 Patrocinense.

ATÉ A parada técnica para hidratação, aos 23’ do 1º tempo, os jogadores do Bicho estavam nervosos em campo. Isso justificou o excesso de passes errados, inclusive no lance que resultou no gol do rival. Rafael Bill tentou voltar a bola para o ataque, mas jogou nos pés de Zé Maria, que lançou Luciano e este armou a jogada para Tony chutar cruzado e abrir o marcador. Gabriel, que foi para o jogo depois do veto de Thiago Wanderson que ainda sente dores no polegar, tentou fechar o ângulo, mas sem sucesso.

Água

Didi aproveitou a parada técnica para arrumar o time; e deu certo
DEPOIS DA parada, o MCFC foi outro. Acertou a troca de passes e teve quatro finalizações que não se tornaram gols por causa da eficiência do goleiro Gessé e das traves. Aos 36’ e aos 40’, Rômulo acertou as traves. Num dos rebotes, mesmo sozinho e sem marcação, Índio cabeceou por cima do gol.

AOS 45’, Gessé defendeu cabeçada de Índio no reflexo e aos 46’, após falta cobrada por Bill, Santana desviou de costas e o goleiro defendeu em dois tempos. No último lance, Ralph marcou o gol após falta cobrada da esquerda, mas estava impedido.

APÓS O intervalo, sem modificações, o Montes Claros fez valer o trabalho nas bolas paradas. Fayllon empatou numa cobrança de escanteio. Confundido pelo efeito da bola e pelo sol nos olhos, Gessé deixou a bola passar: gol olímpico. O primeiro do lateral como profissional. Sete minutos depois, Peu, que acabara de entrar no lugar de Índio, cobrou falta do lado direito sofrida por ele mesmo e Diogo Brasília desviou de leve, mas o suficiente para tirar o goleiro e a zaga adversária da jogada. Virada tricolor.

MAIS CHANCE

AOS 27’, outra grande chance com Rômulo, que ganhou da zaga, esteve cara a cara com o gol, mas mesmo com o chute forte Gessé conseguiu desviar com a perna. “Quando fui acertar a bola, ela quicou alto demais. Dava para bater por cima do goleiro”, se explicou o camisa 7.

MAIS UMA substituição aos 33’. O ainda júnior Daniel, de 17 anos, entrou no lugar de Rafael Filipe no ataque e deu muito trabalho à defesa do Ganso. Num dos lances, deu dois cortes no veterano zagueiro Asprilla e finalizou forte, mas rente ao gol. No finalzinho, Diogo Soares substituiu a Rafael Bill.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: