Bicho cumpre o dever de casa: 3 a 0 no Naça

ATAQUE, DEFESA e meio marcam na vitória que devolveu a liderança isolada do Montes Claros Futebol Clube

Aniversariante dessa segunda, volante Léo Baiano foi um dos melhores em campo
COM GOLS de atletas de cada um dos três setores, o que evidencia o bom o padrão tático do time, o Montes Claros Futebol Clube venceu o terceiro jogo seguido no Campeonato Mineiro do Módulo II. Fez três a zero no Nacional de Uberaba, em jogo válido pela 3ª rodada da 1ª fase (Grupo B), na tarde de domingo, no Estádio José Maria Melo.

MARCARAM O atacante Vinícius Nogueira (40’/1T), o lateral Rafael Bill (16’/2T) e o meia Peu (47’/2T). Agora com nove pontos e na ponta isolada outra vez, o time se prepara para enfrentar o Uberlândia, quarta-feira, às 20 horas, no Parque do Sabiá. A viagem acontece hoje, ainda pela manhã. No fim de semana, mais um compromisso fora, diante do Mamoré (domingo).

A RODADA começou no sábado, com dois jogos pela Chave B. Em casa, o Araxá venceu o Mamoré de virada por dois a um, no duelo que ficou marcado pelo gol 1000 do atacante Túlio Maravilha. E em Patrocínio, o Uberlândia surpreendeu a Patrocinense e venceu: 3 a 1. A combinação fez o Bicho perder momentaneamente duas posições (Ganso e Verdão também chegaram aos seis pontos), o que reforçava a pressão por mais uma vitória como mandante.

PERSONALIDADE

MAS OS comandados de Didi Ferreira tiveram personalidade. O domínio montes-clarense foi nítido do início ao fim. O gol só não saiu antes dos 30’ do 1º tempo por causa de quatro intervenções do goleiro Fernando Pompéu, três do atacante Rafael Filipe, que finalizou sem força, e uma com o meia Diogo Brasília, de longe, que o obrigou a espalmar para escanteio.

VINÍCIUS ABRIU o placar aos 40’ após escorar de cabeça o escanteio cobrado por Fayllon pela direita. Foi o quinto gol marcado pelo Bicho na competição em lance de bola parada. O Nacional teve duas boas chances em finalizações com Lineker, mas ambas para fora. Mesmo com poucas faltas na etapa inicial (seis para cada lado), o que chamou a atenção foi o rigor do árbitro Erik Giovanni Fernandes, que aplicou sete cartões amarelos.

APÓS O intervalo, o MCFC tratou de buscar o gol da afirmação. A expulsão do lateral Éder, depois de fazer falta sobre Caixote, deixou o time com um atleta a mais. Com mais espaço, os laterais apoiaram ainda mais e foi um deles, em jogada individual, que conseguiu ampliar. Rafael Bill recebeu a bola na esquerda, driblou dois marcadores e mesmo com a perna que não é a boa (direita), conseguiu acertar o canto de Pompéu com precisão.

O NACIONAL se abateu e o Montes Claros buscou fazer saldo. Mudou na linha de frente com as entradas de Índio e Peu e teve mais duas chances de ampliar. Aos 47’ conseguiram: pelo lado direito, Índio foi à linha de fundo e correu em direção á área para dar o passe preciso a Peu, que finalizou de primeira, sem chances de defesa.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: