Abutre's com a alma de Papai Noel

COM SUBSEDE em Montes Claros há apenas quatro meses, motogrupo "adota" orfanato e, após campanha surpreendente, realiza Natal de crianças no Sumaré

Aldo, Veím, Carburas e Vinícius: hobby vira ação solidária para órfãos de MOC
PARA MUITOS, rebeldia; para eles, estilo de vida e identidade. O certo é que, em meio aos figurinos de motos possantes e valiosas, roupas de couro e o rock ´n roll como trilha sonora, os motociclistas são pessoas meramente comuns, que trabalham durante o dia e à noite e aos finais de semana têm um tipo de hobby como qualquer outra. Além do lazer, a solidariedade faz parte da rotina, pelo menos na agenda dos Abutre’s.

O MOTOCLUBE criado em São Paulo em 1989 e que é apontado como o segundo mais numeroso do mundo, tem uma facção em Montes Claros e neste final de ano seus integrantes resolveram transformar os encontros semanais em presente de Natal para crianças e jovens carentes.

OS OITO integrantes da subsede montes-clarense “adotaram” o orfanato Jesus de Nazaré, do Bairro Sumaré, e desde o mês passado realizam uma campanha maciça para a arrecadação de roupas e materiais escolares às 28 crianças e jovens entre 4 e 18 anos que moram naquele local.

SURPRESA

SOBRE O saldo, segundo eles, foi surpreendente. “Ao final da campanha, esperávamos reunir as doações em um carro. Já são três, com porta-malas e todo o interior lotados de roupas e materiais escolares”, disse o Aldo Oliveira, que faz o trabalho de relações públicas dos Abutre’s Montes Claros. Segundo ele, a ajuda ao próximo é uma característica do grupo desde a origem em São Paulo.

"TRATA-SE DE um princípio dos Abutre’s”. A coisa é seguida tão à risca que, para a criação da facção no Norte de Minas foi preciso uma espécie de “carência”. “Passamos por um tempo de convívio, o que chamamos de memorial para a adaptação e compromisso às diretrizes do grupo”, completou Aldo, que trabalha como analista de tecnologia.


O JORNALISTA Vinícius Ahnert é o subdiretor dos Abutre’s Montes Claros e explica que a adoção do Orfanato Jesus de Nazaré não foi aleatória. Guilherme Mendes, o Véim, tatuador em Montes Claros e “abutre”, já era voluntário do Orfanato e o apresentou aos companheiros de facção. “O Véim sempre ajudou. Resolvemos fazer o mesmo, até porque o Orfanato não recebe nenhuma ajuda oficial. As doações que chegam, desde comida a roupas e materiais de limpeza e de construção, não são regulares”, disse Vinícius.

UM DIA

GUILHERME, O
Véim, no início da semana passada, doou a renda de um dia do seu estúdio de tatuagem, no Bairro Todos os Santos, para a campanha dos Abutre’s em prol do orfanato. Cerca de R$ 1,2 mil se juntaram aos donativos recebidos até aqui. Aliás, o estúdio foi um dos pontos de coleta de donativos. Para motivar os clientes a ajudá-lo, Véim anunciou o sorteio de uma tatuagem para quem o apoiasse na boa ação. Foi um dos locais com maior volume de arrecadação.


PARA FECHAR a campanha solidária de estreia do motogrupo, os Abutre’s realizaram na manhã de sábado, na sede do orfanato, a entrega dos donativos. Não foi uma ação isolada. Papai Noel teve suas várias versões, mesmo sem roupa vermelha. Talvez de couro. A certeza é que ele esteve de moto.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: