José Aldo: O Brasil é conhecido hoje pelo futebol e pelo MMA”

AOS 27 anos, José Aldo Oliveira Júnior é apontado como um dos principais lutadores de MMA no planeta. Já foi eleito o melhor entre todas as categorias em 2010.

José Aldo no WOCS 30 em M. Claros
ATUAL CAMPEÃO da categoria pena do UFC, maior liga do esporte no mundo, ele foi atração à parte antes e depois do WOCS 30. Casado e pai de uma filha de um ano, não esconde a origem humilde de quem passou fome, morou de favor e teve que trabalhar em três turnos para vencer na vida. “Bom no pé e na mão” na capoeira, muay thai e jiu jitsu, Aldo poderá ter a sua vida levada para a tela dos cinemas.

MESMO COM o status de estrela, teve paciência em atender toda imprensa e o público. Até mesmo os atletas do time profissional de vôlei da cidade o tietaram. “Todos têm sonhos, o pobre mais ainda. É só fazer por onde”. Confira a entrevista à VENETA.

Como aqui em Montes Claros, a gente vê pelo Brasil a fora ginásio cheios, não apenas pelo público específico de lutadores e fãs. O que o MMA fez para cativar famílias inteiras, de crianças a idosos?
JOSÉ ALDO - “Tornou-se um esporte, com regras específicas claras. Os atletas e as academias se profissionalizaram. Quebrou aquele paradigma de que é algo violento e sem limite. Isso é muito bom para todos”.

Antigamente, um garoto que pensava em se iniciar no esporte o que vinha à mente era somente futebol. Hoje, a gente vê crianças que têm José Aldo como ídolo e querem, um dia, chegar ao ringue. Isso te emociona?
JOSÉ ALDO - “Claro, sem dúvida alguma. O Brasil passou a ser conhecido como um país de praticamente todos os esportes. Graças a Deus, tenho a minha parcela de contribuição, assim como tantos outros lutadores porque trilhei um caminho sério, com prioridades e foco. No mundo hoje, o Brasil é futebol e MMA”.

Falando em caminhada, você tem uma história de superação impressionante. De situações de limitações extremas ao estrelato como ídolo mundial.
JOSÉ ALDO - “Todas as pessoas têm sonhos e eu tive os meus. Independente do que você queira, é preciso ter foco, concentração, persistência... Você sempre vai lutar pela vida afora; uma hora vai lograr êxito”.

Crédito: Rubem Ribeiro
Há maus exemplos no futebol, vôlei, basquete e outros esportes; os famosos picaretas. No MMA também?
JOSÉ ALDO - “Não é só no MMA. Dentro e fora do esporte também existem os maus profissionais. Cabem às pessoas procurar boas referências e segui-las. Pode ter certeza de que existe muito mais gente do bem que do mal”.

Para quem esteja pensando em começar no MMA, seja criança, jovem ou adulto. Qual o caminho?
JOSÉ ALDO - “Como disse, procurar referências. Academias bem conceituadas; pessoas sérias”.

Uma das revelações no UFC é o Lucas Mineiro, que é de Montes Claros...
JOSÉ ALDO – “É mesmo? Pô, mas que coincidência...”

Poderia falar dele?
JOSÉ ALDO – (risos) “Infelizmente não posso. No próximo UFC, o combate dele será contra um atleta nosso (aponta para a camisa de sua equipe)... Aí não seria legal (mais risos)”.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: