Rivais em campo e aliados fora dele: clubes paralisam o Amador

DIRIGENTES FAZEM a "greve branca" até que sejam votados os julgamentos pendentes; Comissão Disciplinar responde imediatamente e marca sessão para a terça

RIVAIS EM
campo e aliados nos bastidores. Os clubes que disputam a Primeira Divisão do Campeonato Amador de Montes Claros resolveram se unir fora das quatro linhas em busca de ordem: não voltam a jogar enquanto houver processos a serem julgados pela 1ª Comissão Disciplinar do Tribunal de Justiça Desportiva da Liga Montes-clarense de Futebol (TJD/FMF).

A DECISÃO foi tomada na assembleia de clubes dessa quarta-feira e já “entra em vigor” neste final de semana, quando aconteceria a oitava rodada da primeira fase. O “acordão” acontece para que os erros não se repitam. No ano passado, por exemplo, o Amador viveu uma série de denúncias ao longo de todas as fases e os principais julgamentos só aconteceram depois que a competição chegou ao fim. Vale lembrar que o título ainda está em aberto por uma sucessão de atropelos.

O EFEITO foi imediato: nesta sexta-feira (21), o presidente da 1ª Comissão Disciplinar, Gilson Albuquerque, divulgou o edital de citação 02/2012 que marca para a próxima terça-feira (25), às 19 horas, na sede da Liga, a reunião para o julgamento de oito processos.

NESSAS PAUTAS pendentes da Comissão Disciplinar há denúncias do Magalhães e do Juventus contra o líder Mackenzie, que teria utilizado um atleta supostamente irregular (artigo 214, do CBJD). Por sua vez, o “Maga” será julgado pelo atraso na entrada em campo ainda pela primeira rodada, quando enfrentaria o Cassimiro de Abreu (artigo 203 – deixar de disputar uma partida, sem justa causa).

OUTRA POLÊMICA está no clássico entre Cruzeiro do Santos Reis e o Cruzeirinho do bairro Renascença, que teve apenas 45 minutos de bola rolando. Por falta de iluminação natural, o restante do jogo teve que ser adiado. Na primeira data estabelecida para os 45 minutos finais, o campo definido pela LMF não pode ser utilizado por estar em manutenção.

JÁ NA segunda tentativa, os times compareceram ao gramado com os uniformes nas mesmas cores. Depois de muita polêmica, um deles optou pela troca, mas o outro não concordou com em esperar e não houve jogo. Os dois serão julgados com base no artigo 258, parágrafo 1º: “Assumir qualquer conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva”.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: