Advogado do América defende o Bicho e recurso paralisa a Segundona

JÁ NA manhã dessa quarta-feira, o comando do Montes Claros tratou logo de agir contra a decisão da terça-feira que manteve o Nacional na competição. Através do escritório Saliba & Matos, de Belo Horizonte, o clube está entrando com o recurso para que o caso volte a ser apreciado, mas pelo Pleno do Tribunal de Justiça da Federação Mineira de Futebol (TJD/FMF), que na prática se trata da segunda instância.

O RESPONSÁVEL pelo recurso será o advogado Henrique Saliba, que atua junto ao América (BH). A proximidade entre os dois clubes, já que o Coelho emprestou quatro atletas ao Bicho para a disputa da Segunda Divisão, pesou a favor da escolha do defensor. O advogado Lucas Ottoni, do Atlético e que foi o responsável pela vitória do Funorte no recurso do STJD que lhe deu a vaga na elite mineira, em 2011, contra o Mamoré, também foi procurado.

RODADA ADIADA

A REAÇÃO do Montes Claros para tentar reverter a decisão, que o clube considera injusta pelo fato de o Nacional já ter se pronunciado na imprensa sobre a veracidade do fato de ter escalado um atleta irregular, já teve resultados positivos na avaliação da diretoria. No início da noite dessa quarta-feira, o departamento de futebol da FMF publicou a nota oficial 109/2012 adiando “sine die’ a data da primeira rodada da segunda fase do Campeonato da Segunda Divisão.

NO DOCUMENTO, assinado pelo presidente da FMF Paulo Schettino e pelo diretor de futebol Edmar Francisco Pires, o argumento é de que “os julgamentos realizados pelo TJD, na terça-feira, influenciaram na ordem de classificação dos clubes para a próxima fase” e não haveria tempo hábil para a publicação de uma nova tabela.

SÓ QUE o presidente do Montes Claros, Ville Mocellin, prefere ler o que acredita estar nas entrelinhas: o recurso movido por ele poderá alterar a competição com a tabela em andamento e, por isso, “a Federação teria adotado o bom senso” de paralisá-la. Diante do cenário, ele manterá o grupo de atletas em ritmo normal de treinamentos. “Se a rodada fosse mantida, acho que desistiria do recurso”.

O QUE causou maior estranheza ao dirigente do Montes Claros e ao técnico Wantuil Rodrigues, que esteve presente no TJD, na sessão dessa terça-feira, a mesma Comissão Disciplinar do Tribunal já havia punido com a perda de pontos e multas em dinheiro o União Luziense, Itaúna e Siderúrgica por denúncias a partir do mesmo artigo 214 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD): utilização de atletas em condição irregular. O Nacional foi citado no mesmo artigo.

O UNIÃO Luziense, por exemplo, primeiro colocado na Chave A ao final da primeira fase com 12 pontos, foi julgado e punido por cinco votos a zero pela utilização, ao mesmo tempo, de 12 atletas irregulares no empate da 1ª rodada diante do Jacutinga. Perdeu 4 pontos, um do resultado em campo e outros três como prevê o artigo 214. Siderúrgica e Itaúna, mesmo eliminados, também foram apenados: menos 3 pontos e R$ 200,00 em multa.

Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: