Ídolo Dandão resgata a história no clube

JOGADOR QUE veio parar na cidade por acaso e fez carreira na Europa espera por estreia vitoriosa no mesmo campo onde começou

A ESTREIA que o Montes Claros faz hoje na Segunda Divisão do Campeonato Mineiro, contra a Ituiutabana, provoca até mesmo o resgate de sua curta história de vida. Alexandre Soares, o Dandão, foi o principal atacante na melhor fase do Tricolor, quando disputou a 1ª Divisão do Campeonato Mineiro, em 1997 e 1998, e não esconde que também vive a ansiedade com o retorno do Bicho ao futebol profissional.

O EX-DONO da camisa 9, que marcou gols importantes contra os grandes de Minas e até ganhou uma oportunidade para testes com o técnico Emerson Leão no Atlético (BH), fez questão de ir ao último coletivo antes da estreia, realizado na quinta-feira, no estádio José Maria Melo, e garante que vai ao campo também neste sábado dar uma força ao ex-clube.

“CARA, É como as pessoas dizem: é um filme que vem à sua cabeça. Vivi tudo isso. Agora são outros personagens, mas o cenário é o mesmo ao de 1994, quando cheguei: o clube, o lugar e a competição, tudo igual”, disse Dandão. O jogador não se viu tentado a estar em campo. “Já passou a minha época. Não agüento acompanhar a correria dessa rapaziada”, brincou.

EM MEIO à conversa com o JN, uma pausa para rever amigos. “Olha o pessoal lá”, exclamou, referindo-se aos diretores José de Souza e José Carlos, que caminhavam em sua direção pelas arquibancadas do estádio. Ambos estavam à frente do Montes Claros nos anos 90, quando tudo começou. Hoje, estão de volta.

“BUSQUEI”

SOUZA, POR sinal, foi o responsável pela vinda de Dandão para a cidade. “Procuramos o Cruzeiro e o Zezé Perrella, que era presidente à época, nos ofereceu alguns jogadores. Vários nos foram apresentados, mas não gostamos de nenhum. Só que o Dandão estava treinando a parte na Toca da Raposa e alguém nos soprou: leva ele. Insistimos e o Cruzeiro acabou cedendo: vieram o Dandão e o Dadá”.

O ATACANTE confirmou toda a história. “Quem diria que a minha vida mudaria ali”, resumiu Dandão, lembrando da origem humilde no Rio de Janeiro e da transformação que teve na carreira com a vinda para o Bicho. Em meados de 97, depois do teste no Galo, ele foi vendido para um empresário e foi jogar no futebol da Grécia e do Chipre. Passou pelos clubes Kalamata, OFI, AEK Atenas, Anorthosis, Lanarca e Ermis. Voltou à cidade em 2011 para jogar pelo Funorte.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: