Após a pior campanha desde 2009, Jorge não recebe proposta de renovação

NESTA SUPERLIGA que se encerra hoje, a campanha do BMG/Montes Claros foi péssima. Apenas o 10º colocado geral entre os 12 participantes, com 19 pontos e apenas sete vitórias em 22 jogos. Essa foi a primeira vez que o Esquilão ficou de fora de um “mata-mata” desde a sua entrada para a Superliga – temporada de 2009/2010 –, quando foi vice-campeão nacional na decisão diante do Cimed/Florianópolis (0x3).

DOS ATLETAS
que disputaram a Superliga pelo MOC o oposto argentino Federico Pereyra e o levantador Rafinha já foram dispensados. O técnico Jorge Schmidt não recebeu oferta para a renovação de contrato. Com a eliminação, foi para a sua cidade (Novo Hamburgo), no Rio Grande do Sul, mas acabou voltando a Montes Claros. 

JORGE VOLTOU À CIDADE

JORGINHO DISSE
à VENETA que permaneceu na cidade pelas últimas duas semanas e, por fim, ao lado dos jogadores, acompanhou a oficina de iniciação de vôlei no lançamento do projeto de escolinhas de base do Clube dos Ferroviários, comandada pela professora Valdmar, nessa quinta-feira. Foi definitivamente embora nessa sexta-feira.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: