Time até equilibra, mas perde em Santa Catarina

FORA O 3º set, Montes Claros mostrou grande poder de fogo contra o Cimed; cidade que teve nome entre os TTs do Brasil

Rafinha teve quase 85% de eficiência nos levantamentos e foi um dos destaques da partida (fotos: Vipcomm)

MESMO COM
muita personalidade nos dois primeiros sets, ao ponto de vencer o segundo por 25 a 16, o BMG/Montes Claros não conseguiu derrubar o Cimed no jogo deste sábado, pela manhã, na Arena São José, em Florianópolis. A partida trasmitida ao vivo pela Rede Globo durou duas horas, com vitória dos catarinenses por 3 a 1, parciais de 23/25, 25/16, 10/25 e 22/25. Na quarta-feira que vem, o time receberá o Vivo/Minas, no clássico válido pela quarta rodada do returno. Pelo Campeonato Mineiro, quando jogou em casa, o Esquilão conseguiu vencer o rival por 3 a 1.

Bloqueio do Montes Claros foi bastante eficiente no 2º set, mas só
PEREYRA, COM 15, e Reffatti, com 14, foram os maiores pontuadores do time. À exceção do terceiro set, que o próprio placar resume a diferença de rendimento das equipes, o Montes Claros fez um jogo bastante equilibrado, com destaque para o levantador Rafinha, com mais de 85% de eficiência em suas ações, e nos contra-ataques, com o próprio Reffatti, o argentino Pereyra e Ricardo Serafim. No segundo set em especial, o bloqueio foi determinante para garantir a vitória.

PALAVRA DE PEREYRA

“OBRIGADO PELA
torcida, mas não deu outra vez. Quem sabe na quarta-feira, quando teremos mais um jogo”, avaliou o oposto Pereyra através da rede social twitter (@fedepereyra). Por falar nela, a tão falada projeção que a transmissão pela TV aberta deu ao time aconteceu. Por duas horas, o nome “Montes Claros” esteve entre os dez tópicos “TTs” mais comentados pelo twitter entre os brasileiros, variando entre a 8ª, 6ª e 3ª colocações.

Ao final do jogo, Pereyra assumiu tietagem ao lado de Nalbert
O ARGENTINO, ao final do jogo, assumiu a tietagem e foi atrás do ex-jogador Nalbert, da Seleção Brasileira e que trabalhou como comentarista da rede Globo no jogo de ontem, para tirar uma foto, também publicada na rede social.

ALÉM DO resultado propriamente dito, sem qualquer ponto somado e que não compensou a derrota do meio de semana para o RJX, dois erros grosseiros da arbitragem no quarto set (as bolas bateram em atletas do Cimed e saíram e os pontos foram marcados como bola fora) e os cartões amarelos no 3º set, que desestabilizaram o comportamento do time em quadra, foram outros pontos negativos do time em Santa Catarina.

PESOU CONTRA, ainda, o excesso de erros: 33, doze a mais que o adversário. O Esquilão segue na nona colocação, com os mesmos 15 pontos, fora da zona dos play-offs, e tentará a reabilitação no dia 8, às 19h30, quando receberá o Minas.

Confira a ficha técnica de MOC 1x3 CIM divulgada pela CBV
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: