Borges quer a compensação no Triângulo

COMO PERDEU na estreia, técnico pensa em vencer o UEC para se manter na briga pelas vagas às semifinais

O FUNORTE garante que vai adotar a lei da compensação para a sequência do Campeonato Mineiro do Módulo II, a partir do dia 26 deste mês, quando a tabela da Chave A será retomada. Os planos são do técnico Hílio Borges que garante que o seu time vai jogar no Triângulo Mineiro diante do Uberlândia Esporte para brigar pelos três pontos como forma de amenizar o prejuízo da estreia, quando perdeu como mandante para a Patrocinense (1x2), em Patos de Minas.
Borges entende que o time foi competitivo na estreia e tem condições
de surpreender o UEC mesmo fora de casa (foto: Tico Cordeiro)

O PRÓXIMO adversário do FEC perdeu na estreia como visitante, em Araxá, por um a zero, mas segue como um dos favoritos não apenas a uma das duas primeiras colocações da Chave A, mas também ao acesso e ao título para a 1ª Divisão de 2013. O UEC tem um dos maiores orçamentos do Módulo II comparado até mesmo aos clubes do interior que estão na Elite Mineira.

SEGUNDO BORGES, para surpreender uma das “potências” da competição, ele usa como argumento o que o seu time fez na estreia. Para ele, a atuação do Funorte na estreia não comprometeu, mas o resultado é o que pesará lá na frente. “Ficamos triste pela derrota, até porque o time teve um comportamento bem acima do que a gente esperava lá em Patos de Minas”, explicou Borges, que completou: “enquanto a gente teve dificuldades em fazer treinos e jogos na pré-temporada, o adversário [Patrocinense] fez cinco amistosos. Esperava um ritmo de jogo maior do lado deles, mas a gente conseguiu equilibrar as forças e por pouco não voltamos com pelo menos um empate”.

O COMANDANTE do Funorte se confessou surpreso ao ser abordado pelo técnico da Patrocinense, Sandro Gaúcho, quando se diria para os vestiários ao final da derrota por 2 a 1, no estádio Bernardo Rubinger, em Patos de Minas. “Ele veio me falar que iria comemorar muito a vitória porque não considerou o resultado justo. Achou que o jogo foi equilibrado e que pelo menos o empate seria mais justo”, finalizou Borges.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: