Jorge não esconde irritação

VISIVELMENTE IRRITADO, o técnico Jorge Schmidt considerou alguns erros infantis. “O time treina bem até demais, com um aproveitamento de saques impressionante, mas no jogo tudo às avessas”, disse o comandante, ao condenar, por completo, a atuação do quarto set. “Meu time foi ridículo”.

JÁ O oposto Tuba acha que “houve excesso de respeito” pelo fato do Sesi ser uma das bases da seleção brasileira. Maior pontuador da noite, o argentino Pereyra, mesmo em portunhol, foi claro ao dizer que o time precisa ter mais pegada, “saber resolver na primeira bola”.

VENCEDOR DA noite, o técnico Giovanne Gávio confessou que os erros constantes de saque do Montes Claros ajudaram na conquista do resultado. “A gente estudou bastante o Montes Claros e há pelo menos seis jogadores com grande potencial de saque, mas que não estiveram numa noite feliz”, avaliou.

JÁ MURILO, eleito o melhor em quadra, acha que o momento do Esquilão na tabela foi um adversário a mais. “O time já entra em quadra pressionado e qualquer erro vira um problemão”. Segundo ele, a baixa estatura do Rafinha na rede não deixou de ser um facilitador.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: