Jairzinho já pensava na saída desde o Natal

Victor Oliveira e Jairzinho durante a coletiva sobre a saída do líbero
ÚNICO ATLETA que nasceu e tem residência fixa na cidade, o líbero Jair Amintas reuniu a imprensa na manhã desta terça-feira para oficializar o fim de sua carreira profissional aos 25 anos. A escolha de deixar o vôlei mesmo com um contrato em vigência com o BMG/Montes Claros nesta Superliga 2011/2012 é pessoal: ao invés dos treinamentos passará a ser empresário ao lado do cunhado.

INDAGADO PELA VENETA
, Jairzinho, como ficou conhecido, confessou que já no feriado de Natal quando o elenco ganhou folga geral pensava na decisão de abandonar as quadras. “Até o momento, essa tem sido a oportunidade única que encontrei de abrir um empreendimento próprio e a sua estruturação vai precisar de muita dedicação, o que não daria para dedicar 100% à rotina dos treinos como fiz até aqui em minha carreira”, completou o atleta.

SEM SER relacionado uma vez sequer para os jogos da Superliga, o líbero assumiu ser esta uma decisão pessoal, que não tem a ver com o fato de estar ou não jogando. “A equipe é muito boa e a comissão técnica também. A decisão do treinador sempre foi respeitada e a gente sabe que um clube precisa de um elenco. Eu estava ali para ajudar sempre que fosse chamado”.

DECISÃO

A FAMÍLIA
, segundo ele, foi quem lhe ajudou a decidir sobre o fim da carreira. “Da mesma forma que o meu pai, minha mãe e minha irmã me deram apoio quando iniciei no esporte, ainda aos cinco anos e depois quando sai de casa, aos 14, agora também estão ao meu lado, embora tenham ficado surpresos com tudo isso”, completou.

COMO ATLETA do Minas, Unisul, Sogipa e UFJF, Jair ficou nove anos fora de Montes Claros. “Quando você está distante acaba por valorizar ainda mais a família e os amigos. Estou pensando nesse aspecto também: de ter a oportunidade de ficar em minha casa e na minha cidade”.

O GRUPO de jogadores do BMG/Montes Claros, ao final do treino de segunda-feira, teve conhecimento da decisão do líbero antes mesmo da torcida e da imprensa. “Foi uma convivência muito marcante com o elenco e a torcida nesses seis meses em que tive a oportunidade de realizar o sonho de jogar profissionalmente por uma equipe da minha cidade. Posso dizer que fui abraçado de forma impressionante. Nunca em minha carreira isso havia acontecido”, finalizou Jair.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: