Goteiras: azar, coincidência e preocupação além-jogo para os treinadores


O PODER de reação do BMG/Montes Claros ao longo da partida dividiu a atenção com as goteiras sobre a quadra, problema que se tornou rotina no Ginásio Poliesportivo Tancredo Neves. Por causa delas, o jogo foi paralisado no 1º set, por 22 minutos, e no 4º set por mais 38 minutos.

O FATO rendeu reclamações dos dois lados, já que os atletas tiveram que retomar os aquecimentos. Os técnicos Cacá Bizzochi e Jorge Schmidt foram mais além e temiam pela queda da concentração de seus times. “Isso quebra o ritmo do jogo”, resumiu o comandante campinense.

JÁ JORGE ficou preocupado mais além: com o risco de adiamento do jogo não apenas pelas goteiras. "Um lado da iluminação começou a piscar. Seria um pecado o jogo não terminar no mesmo dia, porque o meu time estava afinado".

AZAR OU coincidência, é a segunda vez que uma partida em Montes Claros transmitida ao vivo para todo País pelo canal a cabo SporTV registra esse contratempo com as goteiras, embora seja comum na maioria dos ginásios do Brasil. Na vitória sobre o RJX, pela segunda rodada, também por 3x1, o jogo teve que ser paralisado por causa da água caindo na quadra de jogo.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: