Diretoria faz coro às broncas e pede reação imediata

SE PARA a torcida já não foi difícil digerir mais uma derrota em casa, mesmo em se tratando do início da Superliga e contra times com elencos mais fortes, para a diretoria o impacto foi maior. Nitidamente desapontado pelo rendimento do time, o diretor executivo do clube, Victor Oliveira, foi de poucas palavras com a imprensa e preferiu ir ao vestiário ao final dos três sets cobrar mais empenho do seu grupo.

“TRABALHAMOS MUITO para montar esse grupo e tem sido difícil manter o projeto. Foram muitos contratempos até aqui. Já passou da hora de os atletas se empenharem mais. As coisas têm que mudar por bem ou por mal”, alertou o dirigente sobre como será o retorno dos atletas após as festas natalinas.

VICTOR NÃO vê exagero em sua atitude e não considera Minas e Vôlei Futuro, principalmente, tão superiores ao Montes Claros como foi nos dois jogos desta semana. “Claro que quem vence tem méritos, mas o nosso time falhou muito nesses dois jogos e isso foi determinante para as derrotas que considero vergonhosas pela forma que aconteceram”.

COM SEIS pontos em quadra, sendo um ace, o central Alberto reconheceu que, além dos treinamentos, o time precisa trabalhar também o lado emocional “para ser mais constante dentro de quadra”. O levantador Rívoli, que seguiu viagem para o Espírito Santo, concorda que o nervosismo tem sido um adversário a mais em quadra.

“ESTIVEMOS MUITO bem taticamente, tanto que abrimos uma vantagem considerável, mas faltou ao time manter esse rendimento até o final”, resumiu o técnico Jorge Schmidt, nitidamente chateado pela derrota.
Compartilhar no Google Plus

Christiano Jilvan

Jornalista com quase 20 anos de profissão. Foi repórter e subeditor do Jornal de Notícias por mais de uma década, além de freelancer para os jornais O Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Estado de Minas e O Tempo. Colaborador para as TVs Geraes, Canal 20 e InterTV e Rádios Terra AM e Transamérica FM.

0 comentários: